quinta-feira, 3 de fevereiro de 2011

A Rosa Rebelde

Autor: Janet Paisley
Editora: Editorial Bizâncio
Número de páginas: 378

Numa época em que a guerra civil dividia a nação, Anne acreditou que podia bater-se com os melhores guerreiros. Pela espada. Por convicção. Por paixão.
A Rosa Rebelde conta-nos a fascinante e turbulenta história de uma notável figura histórica, Lady McIntosh, que ficou conhecida como coronela Anne. Foi uma das heroínas das Terras Altas da Escócia, uma encantadora rebelde, uma Braveheart que arriscou tudo, incluindo a sua vida, por amor ao seu país e ao seu rei.
Fruto de uma cuidada investigação histórica, e com notável mestria, Janet Paisley criou uma extraordinária história de amor, conflito, lealdade e traição que se lê compulsivamente. Uma sensual aventura histórica, repleta de emoção, protagonizada por uma heroína apaixonada e irresistível. 

Anne era uma menina rebelde e com ideias próprias que sabia manejar uma arma tão bem como um homem quando no dia em que o pai morreu, conheceu Aeneas, o atrevido que lhe deu umas palmadas e um dia seria o seu marido. No entanto, o seu casamento e a vida do seu novo clã altera-se quando o príncipe que a Escócia esperou, finalmente, chega para os libertar da União e do jugo da Inglaterra. Lady McIntosh quer lutar pela liberdade do seu povo e pelo sonho do pai mesmo que isso signifique abandonar o homem que ama e criar uma ruptura entre eles que pode não sarar. Aeneas, para salvar o seu clã e a sua forma de vida, junta-se com alguns homens à Guarda Negra, uma força armada inglesa com o propósito de controlar os escoceses, acabando por lutar contra à mulher e aos amigos.
A denominada coronela Anne leva-os à vitória e torna-se uma lenda nos campos de batalha e motivo de conversa em Inglaterra, demonstrando que as mulheres podem usar a força e a inteligência como os homens. Entretanto longe do marido e cosiderando-o um traidor, Anne volta para os braços do seu primeiro amor. Mas no meio de tantas reviravoltas que uma guerra e um coração podem ter será que o destino dela é tão linear quanto ela quer?
Com pormenores históricos intrigantes ( mesmo que as vezes não muito bem descritos), uma heroína magnífica e uma história de amor e coragem que nos agarra da primeira à última página, A Rosa Rebelde não é um romance histórico excepcional mas cumpre os requisitos para uma lição de História simples e bem ensinada. Anne enche as medidas como heroína e a história do seu povo comove-nos e encanta-nos. Entre cenas de rir às gargalhadas e de chorar de comoção, é uma leitura que recomendo.

6/7


Sem comentários:

Enviar um comentário