sábado, 14 de maio de 2011

As Filhas do Rei

Autor: Nathalie Mallet
Editora: Edições Saída de Emergência
Número de páginas: 318

Bem para norte da escaldante terra desértica de Telfar jaz o gélido reino de Sorvinka. O Príncipe Amir viaja para lá, com o objectivo de pedir ao rei a mão da bela Princesa Eva em casamento.
Mas Sorvinka tornou-se perigosa durante a ausência da Princesa Eva e, à sua chegada, o acolhimento na fortaleza da família real é tão amargamente frio como a própria terra.
Acostumado à prisão dourada em que foi criado, o Príncipe Amir tem de lidar com os estranhos e cruéis costumes dos Sorvinkianos. Tem de enfrentar as agruras da vida no castelo e a brutal hierarquia da nobreza sorvinkiana. Para sobreviver tem de descobrir a verdade por trás do rapto da filha mais nova do rei, a Princesa Aurora.
Os desafios sucedem-se, a par dos mais macabros acontecimentos, e a magia paira no ar... Mas o que pode fazer um estranho em terra estrangeira?

Definitivamente, Nathalie Mallet não me inspira. O facto de mudarmos de ambiente ao seguirmos o nosso protagonista das quentes terras orientais para as terras frias nórdicas prometia novas mudanças e aventuras. E trouxe, lá isso é verdade! Mas não foi o suficiente.
Primeiro parece que (quase) todas as personagens deste livro têm dupla personalidade, ou seja, eu passei de "não engraçar" a detestar a princesa Eva, o príncipe Amir passa de bestial a "besta" em poucas páginas, o príncipe Diego passa de detestar a amar a noiva (uma das irmãs da Eva) de um momento para outro, entre as (restantes) outras personagens. Sim, eu ia perdendo a cabeça.
Posso agradecer o facto de que também neste livro a autora consegue manter-nos interessados ao longo das páginas com um bom ritmo de acontecimentos e mais um puzzle misterioso, desta vez com lendas russas à mistura, (eu que sempre achei piada à Baba Yaga gostei imenso deste pormenor) e que tinha tudo para dar um "melhor ar" ao livro, não é que, o "mau da fita" é previsível como tudo? Mas o final tinha de ser a coisa mais imprevisível de todas no livro! E eu ainda não sei se gostei...
Pois, realmente é pena que um livro que tinha tão bons ingredientes para dar certo tenha ficado perdido no meio das ideias da autora que se devia ter ficado pela simplicidade. Continua a ser uma leitura de entretenimento mas não me vejo a ler esta autora pelos próximos tempos.

3/7




 

2 comentários:

  1. Estava a pensar em comprar este livro na próxima Feira do Livro.
    Escusado será dizer que ainda bem que li esta tua opinião, pois também eu não gosto lá muito quando os livros são previsíveis e com reviravoltas impossíveis.
    Continuação de boas leituras
    Sandra do Blog Vidas Desfolhadas

    ResponderEliminar
  2. Olá Sandra!
    Fiquei com pena do livro ser assim porque tinha os elementos certos para ser uma boa história mas enfim!

    Boas leituras

    ResponderEliminar