sábado, 13 de agosto de 2011

Opinião - O Desejo

Autor: Alexandra Bullen
Editora: Planeta Manuscrito
Número de páginas: 272

Sinopse
Para a infeliz Olívia Larsen nada pode alterar o facto de que a sua irmã gémea, Violet, morreu… Vive angustiada e isolada e um dia as suas incursões levam-na a uma velha loja onde uma misteriosa costureira lhe oferece um vestido, dizendo-lhe que é mágico e que lhe pode conceder um desejo. Céptica, veste-o e pede a única coisa que deseja: que Violet volte. 
Com Violet de novo ao seu lado, ambas têm uma segunda oportunidade na vida. Mas nem tudo é o que parece, como em breve descobrem… Por insistência de Violet voltam à loja e obtêm mais dois vestidos – e mais dois desejos. Mas a magia não pode resolver tudo e Olívia é obrigada a confrontar os seus fantasmas para aprender a rir, amar e viver outra vez.
O Desejo é uma impressionante estreia literária de Alexandra Bullen e faz-nos a seguinte pergunta: Se pudéssemos ter o que quiséssemos, o que pediríamos?


Opinião
E se encontrássemos uma lâmpada mágica ou, neste caso, um vestido que nos concedesse um desejo? Um qualquer? Uma questão que muitos de nós já devemos ter colocado a nós mesmos. E é esta a questão que Alexandra Bullen nos coloca neste seu primeiro livro, na pessoa de Olivia, uma menina doce que sempre viveu na sombra da irmã gémea, Violet que morreu e que Olivia trará de volta através de um desejo.
O Desejo é sobre o certo e o errado, os desejos e vontades humanas, a perda e o amor. Retrata os sentimentos de forma doce e fala-nos sobre situações tão dolorosas como a de perder alguém que amámos e ver o nosso mundo desabar aos poucos e poucos. Infelizmente não consegue estar à altura dos temas escolhidos. Em vez de encontrarmos uma história forte, capaz de nos pôr a pensar e de sensibilizar, encontrámos uma história estereotipada acerca de uma adolescente que é a personalização da perfeição, que só pensa nos outros e que precisa que a irmã, que em vida era a estouvada das duas, regresse para ela "crescer"... Entretanto, tudo gira à volta de um rapaz e de entrar numa escola nova e ter amigas e ser popular. Conclusão: é mais uma história de adolescentes e não tem nenhuma da profundidade que se pensa que este livro tem.
Como se não bastasse a desilusão de ver as minhas expectativas de uma leitura "profunda" completamente furadas, há uma razão para a leitura ser ainda mais dolorosa: a perfeita, doce e aborrecida Olivia. Deve ser uma das protagonistas mais "sem sal" que eu já vi. Não traz nada de novo, não tem um pingo de personalidade e quase nós faz desistir do livro tal é pouca graça que ela tem. Já Violet, essa sim, é a alma do livro. Nela pudemos ver a transformação que ocorre quando perdemos tudo. É nela que assistimos ao crescimento psicológico e à alteração/aceitação da nova "vida". Violet é o centro desta história e o grande ponto positivo deste livro.
 A escritora parece dar a impressão de querer dar uma lição de moral que acaba por não ser entendida e no meu ver, desnecessário. Cada pessoa é uma pessoa, cada vida é uma vida e a perfeição é uma coisa que não existe e, se me permitem, ainda bem. Pois cada um de nós escolheria um desejo diferente, tomaria um rumo diferente. E a diferença é uma coisa que é boa. Já imaginaram se fôssemos todos iguais?

3/7

Sem comentários:

Enviar um comentário