terça-feira, 2 de agosto de 2011

Opinião - O Punhal do Soberano

Autor: Robin Hobb
Editora: Saída de Emergência
Número de páginas: 384

Sinopse
Fitz mal escapou com vida à sua primeira missão como assassino ao serviço do rei. Regressa a Torre do Cervo, enquanto recupera do veneno que o deixou às portas da morte, mas a convalescença é lenta e o rapaz afunda-se na amargura e dor. O seu único refúgio será a Manha, a antiga magia de comunhão com os animais, que deve manter em segredo a todo o custo. 
Enquanto recupera, o reino dos Seis Ducados atravessa tempos difíceis com os ataques sanguinários dos Navios Vermelhos. A guerra é inevitável e preparam-se frotas de combate para enfrentar o inimigo, mas o rei Sagaz não viverá por muito mais tempo. 
Sem os talentos de Fitz, o reino poderá não sobreviver. Estará o assassino real à altura das profecias do Bobo que indicam que o rapaz irá mudar o mundo?

Opinião
 Uma das coisas de que mais saudades tinha, antes de ler O Aprendiz de Assassino, era de me "apaixonar" novamente por uma saga. Depois de o ler, não tive qualquer dúvida, Robin Hobb conquistara o meu coração ansioso por uma nova e excitante saga. Num estilo muito próprio, Robin eleva a demanda épica a um novo patamar sem o qual já não conseguimos viver e demonstra que na "velha" high fantasy ainda existe muita originalidade capaz de (re)conquistar os leitores da fantasia épica. Regressar aos Seis Ducados, depois de tanto tempo, apenas aumentou a minha curiosidade e a minha vontade de devorar o segundo volume sobre as aventuras de FitzCavalaria e redescobrir todas as personagens geniais com que a autora nos havia presenciado.
Descobri que "desilusão" é uma palavra que não vai constar no meu vocabulário quanto ao que A Saga do Assassino concerne. Descobri, sim, que sou capaz de me apaixonar ainda mais! O regresso de Fitz à Torre de Cervo após o seu envenenamento vai proporcionar-lhe mais respostas do que estava à espera e ainda mais mistérios. A sua evolução de rapaz a homem, de bastardo a príncipe, de solitário a alcateia, dá-nos uma sensação de expectativa única ao assistirmos ao crescimento do nosso protagonista e ao seu amadurecimento emocional, catapultando-nos para uma leitura ainda mais intensa e embriagante do que anterior, onde é impossível não nos sentirmos na pele do jovem Cavalaria e sentir os seus amores e ódios e não termos vontade de lutar as suas batalhas. A magnitude das personagens de Hobb, a sua beleza humana e complexidade, fazem-nos amá-las, odiá-las e compreendê-las sobre uma forma de entrega absoluta enquanto assistimos ao decorrer desta história de uma forma completamente entregue sem nunca levantarmos o olhhar das páginas.
Entrar no mundo criado por Robin é uma aventura fantástica que nos agarra e fascina sem dar tempo sequer para respirar, e que se tornou num dos meus preferidos com todo o direito.

7/7

2 comentários:

  1. Li recentemente o terceiro volume e realmente esta escritora é fantástica. Toda a estória em si, mas também as personagens, conseguem cativar-nos do princípio ao fim. Se gostaste deste volume acredito que o próximo não te desiludirá de forma alguma.

    Beijinhos e boas leituras. :)

    ResponderEliminar
  2. Já cá tenho o terceiro volume para continuar as aventuras de Fitz e espero puder lê-lo em breve =) É incrível como todas as personagens dela nos conseguem cativar numa história tão diferente da que estámos habituados!

    Beijinhos e boas leituras =)

    ResponderEliminar