sábado, 15 de outubro de 2011

Opinião - O Alquimista

Título original: The Alchemyst
Autor: Michael Scott
Editora: Edições Gailivro
Número de páginas: 384

Sinopse
A verdade: Nicholas Flamel nasceu em Paris, em 28 de Setembro de 1330. Quase setecentos anos depois, é reconhecido como o maior Alquimista de todos os tempos. Diz-se que descobriu o segredo da vida eterna. Os registos certificam que morreu em 1418. Mas o seu túmulo está vazio.
A lenda: Nicholas Flamel está vivo, graças ao elixir da vida que produz há séculos. O segredo da vida eterna está escondido no livro que protege - o Livro de Abraão, o Mago, o livro mais poderoso de sempre. Se for parar às mãos erradas poderá ser o fim do Mundo. Considerado uma sumidade em mitologia e folclore, Michael Scott é um dos autores mais bem sucedidos da Irlanda. Este mestre do fantástico, da ficção científica, do terror e do folclore, vive e escreve em Dublin e foi agraciado pelo Irish Times com o epíteto "Rei do Fantástico nestas Ilhas".

Opinião 
Entre lendas e mitos, da mitologia grega à celta, passando pela egípcia directamente à nórdica, até às vidas de personagens históricas que se tornaram imortais na nossa mente pelos seus feitos, Michael Scott junta todas as nossas raízes numa mesma história em redor de um Livro que tem não só o segredo da Imortalidade como os destinos e profecias de toda a Humanidade que só pode ser salva por dois gémeos que de um dia para o outro vão ter de aceitar que todos os contos que lhes contaram eram afinal realidade.
O que este livro me fez sentir enquanto fã de Harry Potter (livro a que este é associado) e enquanto estudante de História que adora e estuda mitologia foi…um grande balde de água fria. A forma como o escritor mistura tudo e mais alguma coisa, em que nada tem a ver com nada, provocou-me um enorme aperto no coração. Está tudo tão misturado que só consigo pensar em “tortura mitológica”. A parte dos Anciões, a Geração Seguinte e mais não sei o que é horripilante. Morrighan, sobrinha de Bastet e Hécate?? Desculpem este desabafo mas este livro foi uma tortura. Eu adoro literatura fantástica e não tenho nada contra usarem os mitos como tema e uma das coisas que mais adoro neste género é a originalidade mas este livro provocou-me sensações tão más que nem consigo exprimi-las.
A escrita de Scott até podia ser divertida mas fica por aí. Este não é meio dele e tanto quis criar algo maravilhoso que tudo parece forçado. Nem os momentos mais naturais parecem encaixar-se. As personagens não têm nada de interessante, não há espírito, parece mais um daqueles livros que gozam com tudo mas que mesmo assim não têm piada.
O conjunto em si torna-o um livro cansativo e aborrecido, sem contar que a mim até me apeteceu atirá-lo pela janela. Não consigo indicar uma única coisa boa neste livro, foi desilusão pura e muito provavelmente o pior livro que li este ano. 

1*


Sem comentários:

Enviar um comentário