segunda-feira, 21 de novembro de 2011

Opinião - Tormento

Título Original: Torment (Fallen #2)
Autor: Lauren Kate
Editora: Planeta Manuscrito
Número de páginas: 328

Sinopse
Quantas vidas é preciso viver antes de encontrar alguém por quem valha a pena morrer?
O inferno na Terra. É como Luce se sente por estar longe do namorado, o anjo caído Daniel.
Levaram uma eternidade a encontrarem-se e agora ele diz-lhe que tem de partir.
Afastar-se para perseguir os Proscritos – imortais que querem matar Luce. Daniel esconde Luce em Shoreline, um colégio na rochosa costa da Califórnia com estudantes estranhamente dotados: os Nefilim, filhos de anjos caídos e humanos.
Em Shoreline, Luce fica a saber o que são as Sombras e como as pode usar por serem janelas para as suas vidas anteriores.
Mas, quanto mais aprende mais suspeita que Daniel não lhe contou tudo. Oculta-lhe qualquer coisa… qualquer coisa perigosa.
E se ele lhe mentiu sobre o passado em comum?
E se Luce estiver na realidade destinada a ficar com outra pessoa?

Opinião 
Numa altura em que abundam as histórias de amor eterno entre um imortal e uma mortal e vice-versa, Lauren Kate conseguiu, com o seu bestseller Anjo Caído, que eu desse uma segunda oportunidade a este tipo de enredo. O facto de parecer ligeiramente diferente do que eu havia lido antes deste género (a Saga Luz e Escuridão) e a(s)  sua(s) capa(s) fantástica(s) fez com que comprasse o livro, gostasse e tivesse aguardado durante um ano, com alguma expectativa, este Tormento.
Ante de mais, quero explicar-vos o porquê de eu ter gostado do livro anterior. Não é que fosse um excelente livro, não é que não tivesse assim tantas parecenças com a dita saga abominável mas tinha uma história diferente. Uma história com “pés e cabeça”, um enredo suficientemente diferente para me deixar curiosa, umas personagens com um bocadinho mais de “sal”.
Sim, vendo bem eu ESTAVA realmente entusiasmada com este lançamento, porque no fundo, sou uma lamechas e ainda estou a espera de uma história deste género que seja boa, mesmo boa. E tive uma esperança enorme que fosse Fallen, essa história.
Pelos vistos, bem posso continuar a espera. Aliás, pela minha experiência, eu devia ficar-me pelos primeiros volumes deste tipo de sagas. Assim não me passava. Mas eu continuo a insistir, não se sabe bem porquê.
Passo a explicar-me. É que com um enredo até interessante, e que ainda tinha muito para dar, é quase inconcebível o que se passou neste segundo volume. Ou melhor, o que não se passou. São 300 páginas em que não acontece nada e em que o pouco que acontece não tem qualquer tipo de explicação, ou seja, até seriam cenas que teriam toda uma lógica se explicadas. Só que explicações são uma coisa que não existe neste livro.
Mas o que me desiludiu mesmo foi ver a Luce a ficar demasiado parecida com a Bella. A crise existencial dela faz muito mais sentido do que a desta última e ela tem uma personalidade muito menos irritante mas há parecenças, até podiam ter sido ignoradas mas irritaram-me. Porque não havia necessidade.
Mais, os novos elementos que a autora acrescentou não trouxeram nada de novo, só complicaram, além de que parece uma forma de ela estar a encher páginas para estar a vender livros e para aumentar a trilogia. Ela devia era ter desenvolvido a história dela, não estar a empatar.
Entenda-se, o livro não é mau. O que estou a querer dizer é que ele podia ter sido bom se a Lauren Kate não quisesse imitar a Stephenie Meyer e se se tivesse lembrado que estava no bom caminho para fazer algo melhor. Porque ele até tem alguns bons momentos mas eu não consegui apreciá-los pois não tinha nada a ver com aquilo que eu havia lido antes. Eu queria ler a história da Luce e do Daniel, não a da Bella e do Edward alterada.
Foi uma pena, sinceramente, mas aqui está mais uma prova que se escreve livros para se venderem, não para serem bons livros. Ainda bem que Paixão ainda vai demorar a sair cá, pode ser que até lá eu recupere para o conseguir ler.

3*

2 comentários:

  1. Uau. Recebi este livro muito recentemente e juro que estava para pegar-lhe mas contigo já são duas pessoas a dizerem que o livro está péssimo. A autora engonha demasiado, estando constantemente a recorrer às introspecções da protagonista aquando de toda e qualquer situação, e o próprio conteúdo do livro/história acaba por perder um pouco do seu nexo, além de que rapidamente se torna enfastioso. Confesso ter gostado muito mais de “Evernight” do que de “Anjo Caído” e como tive uma muito má experiência na continuação do primeiro – não gostei – estava igualmente receosa com esta série. Quero ler. Vou ler. Mas não para já. Odeio quando os livros se tornam “apenas mais um de muitos” e dentro deste género, estas situações começam a ser bastantes.

    ResponderEliminar
  2. É um desgosto estas séries tornarem-se tão más =/ Um dia aparece uma mesmo boa e já ninguém lhe pega porque como tu dizes, está a tornar-se demasiado frequente esta má qualidade nas tais séries bestsellers...
    O Evernight não li porque lá está, ando "escaldada" com este tipo de livros...

    ResponderEliminar