quinta-feira, 26 de janeiro de 2012

Opinião - Paixão numa Noite de Inverno

Título Original: An Affair Before Christmas (#2 Desperate Duchesses)
Autor: Eloisa James
Editora: Quinta Essência
Páginas: 386


Sinopse
 Este livro é um romance histórico com uma forte personagem feminina e repleto de elementos de sensualidade. Poppy casou sob uma chuva de pétalas de rosa depois de conhecer o seu duque em Paris... o casamento mais romântico que se possa imaginar. Quatro anos depois… as pétalas de rosa transformaram-se em pó. Mas só depois de sair de casa do marido é que Poppy começa realmente a compreender o que é o romance.
Num Natal fabuloso, Lady Perdita Selby, Poppy para os amigos e família, conheceu o homem que pensou que iria amar para sempre. O diabolicamente atraente duque de Fletcher era o marido perfeito para a inocente e bela inglesa, e o seu casamento foi o mais romântico que ela alguma vez vira. Quatro anos mais tarde, Poppy e o duque tornaram-se o alvo das atenções da alta sociedade… mas, por trás de portas fechadas, a chama do seu amor extinguia-se.
Relutante em perder a mulher que continua a desejar, o duque está determinado em voltar a conquistar os deleitáveis afectos da sua encantadora noiva… e a ultrapassar os dias impetuosos do primeiro amor com uma sedução verdadeiramente pecaminosa.


Opinião
Bestseller internacional, este é o primeiro dos treze romances premiados de Eloisa James a ser traduzido para o nosso país, ao qual se seguiu Beijo Encantado. Com uma capa deliciosa e um título que chama a atenção, que faz com que desejemos que por trás esteja uma linda história de amor, este é um livro que promete conquistar corações e trazer a vossa veia mais romântica ao de cima.
A sinopse não deixava marcas para dúvidas, este é um livro que declara “romantismo” por todos os lados e, por isso, apesar de não andar numa fase muito para aí virada, decidi experimentar esta autora, tão elogiada, nem que fosse só para tirar as dúvidas se o conteúdo seria tão apelativo quanto o belo exterior que este livro tem.
Infelizmente, foi com expectativas muito altas que me “atirei” à sua leitura, relegando algumas críticas que tinha lido, o que por um lado não devia ter feito, por outro lado fiquei a saber como é afinal, um livro desta autora. Antes de mais, vou ter de elogiar aquilo que mais gostei nesta leitura, que foi a importância que a escritora dá a pequenos pormenores históricos, como por exemplo, os arranjos de cabelo do século XVIII ou as lojas de curiosidades. São pormenores que deliciam a futura historiadora que há em mim, a que muitos não dão atenção mas que a mim me deixou deliciada. O facto de a escritora ter utilizado pormenores desses para dar realismo e um novo ar ao seu romance, foi um ponto positivo.
Outra das coisas, foi a diferenciação que Eloisa faz da corte londrina para a parisiense. Observar, as diferenças abismais entre as duas cidades mais prestigiadas da Europa neste século é uma forma de conhecermos e percebermos que afinal o “Velho Mundo” não era tão igual quanto pode parecer. A meu ver, a autora podia ter aproveitado um pouco mais de Paris, já que maioritariamente este tipo de romance passa-se em Londres e pela sinopse eu estava com esperança que este se passasse em Paris, o que não aconteceu, e me deixou um pouco desiludida, pois em vez de falar tanto nesta cidade, a história podia ter-se passado toda lá.
Só que não é só de pequenas coisas que um livro destes deixa marcas e, infelizmente, tudo o resto não chegou para me conquistar. Sim, foi uma leitura agradável, de poucas horas, que deu para desanuviar e dar umas gargalhadas, mas não passou daí. O livro acabou por não ser nada do que eu estava a espera, e mesmo sendo diferente do que tem por aí sido editado, não bastou para me fazer gostar verdadeiramente dele.
Um dos contras, foi as personagens, ou melhor a protagonista e a mãe. A Poppy é uma querida de todo o tamanho mas tanta patetice irritou-me sobremaneira. Não é a protagonista ideal e a mudança abrupta que sofre no fim, não convence ninguém. Já Lady Flora é do mais irritante, enervante e odioso que pode existir. Quanto ao protagonista, Fletch, umas vezes convencia-me, noutras nem por isso. Quem eu adorei mesmo foi a Jemma! Exuberante mas afinal com um lado intelectual, aqui esta uma personagem que devia ter um livro só dela!
Outro dos pontos negativos, foi as duas histórias que são contadas em simultâneo com a dos protagonistas. Se eu tive pena de não saber o que aconteceu a Jemma e a Beaumont, ainda não percebi os capítulos de Villiers e Charlotte. Acho que eram dispensáveis, talvez porque eu gostei do Villiers no início e depois a escritora decidiu colocá-lo numa situação estranha sem significado à vista.
Uma das coisas que me chamou a atenção foi a autora ter dado actividades tão interessantes e intelectuais a Poppy e Jemma, tendo aproveitado alguns dos hobbies e passatempos mas em voga nesta época.
Resumindo, Eloisa tem uma escrita leve com detalhes interessantes e consegue provocar uns bons risos mas esta não é a história romântica que é prometida pelo exterior, e ficou aquém das expectativas.

4*

2 comentários:

  1. Não sei sobre a história mas a capa é lindíssima :)

    ResponderEliminar
  2. Olá..Tropecei aqui, e decidi espreitar...:-) Adorava ler este livro..Pena que não o consiga em nenhuma livraria :-(

    ResponderEliminar