terça-feira, 3 de abril de 2012

Opinião - Desculpa, Mas Quero Casar Contigo

Título Original: Scusa ma ti voglio Sposare
Autor: Federico Moccia
Editora: Contraponto
Número de Páginas: 581

Sinopse
 Alex e Niki, mais apaixonados do que nunca, regressam do farol na ilha de Blu, onde passaram dias inesquecíveis. Niki reencontra as amigas, mas as Ondas vão deparar-se com grandes mudanças que irão pôr à prova a sua amizade. Alex retoma a sua antiga vida e aos seus velhos amigos. Flavio, Enrico e Pedro passaram de maridos tranquilos e seguros a ter de enfrentar muitas dificuldades que têm vindo a abalar os seus casamentos. E todas estas pessoas - homens e mulheres de diferentes idades -, cada uma à sua maneira, vão reflectir sobre o amor. O amor existe? A crise dos sete anos será mesmo verdade? Aqueles que dizem que o amor não pode durar mais de três anos têm razão? E a pergunta mais difícil: O amor pode durar para sempre? É então que Alex decide arriscar e pedir Niki em casamento…

Opinião 
 Federico Moccia é um dos nomes da literatura italiana deste século. Traduzido em mais de quinze línguas, tornou-se um fenómeno de sucesso por onde foi lido. Desculpa, mas Quero Casar Contigo segue a relação de Niki e Alex até ao ponto mais decisivo das suas vidas e onde tudo se pode alterar: o caminho até ao altar.
Eu estive a evitar ler este livro até arranjar o seu antecessor Desculpa, mas vou Chamar-te Amor, mas depois de tanto tempo não resisti e peguei nele, afinal não ia morrer por não saber o que se passou antes (mas custa tanto!) e decidi dar uma oportunidade ao livro. Digo já, não era livro que comprasse. Se não tivesse o tivesse ganho num passatempo, tinha me passado completamente ao lado e ainda bem que não foi assim.
Para já tenho de vos explicar que tenho uma relação curta mas especial com autores italianos. Desde Lampedusa com o seu incrível Gattopardo à Sveva Casati Modignani com o belo A Viela da Duquesa, ao filme A Vida é Bela, a cultura italiana tem me assolado de forma duradoura apesar de a encontrar poucas vezes. Não sei se algum de vocês sente o mesmo mas eles têm uma forma diferente de falar, de ver a vida, de nos emocionar com pequenos momentos que nos marcam e alteram a nossa própria maneira de pensar. São delicados, apaixonados e profundos. Federico Moccia também o é.
Este livro é mais do que um entrelaçar de histórias belas, tristes, alegres, repentinas, ocasionais ou eternas. É uma ovação ao amor em todas as suas formas de expressão, em todos os seus ritmos. É um hino a todos aqueles que amaram ou virão a amar. É italiano de uma ponta à outra. Entrar neste livro é como entranhar-nos não só no sentimento mas também na vida e bem a fundo.  Começa-se a ler e quando damos por nós estamos inundados por ele, por tudo o que ele é.
Todos estes amores e desamores rodam à volta de Niki e Alex. Este é um daqueles casais como quaisquer outros, amam-se, desconfiam, lutam e por vezes quebram. Para acompanhar um par tão doce temos outros tantos, nem sempre com finais felizes mas cada um com a sua lição de vida, cada um com uma mensagem que ensina. É uma fórmula que entretém o leitor, que quando bem feita, não cansa mas diverte. Através de uma escrita coloquial, preenchida de citações referentes a marcos culturais italianos, Moccia leva-nos através de um enredo moderno e filosófico sobre a vida e os que nos rodeiam. As citações, sendo interessantes, acabam por cansar por serem demasiado excessivas, o que me fez passar muitos parágrafos recheados delas. Giras mas em menos quantidade!
Herdeiro de uma literatura apaixonada, Moccia traz-nos essas tradições com o seu próprio toque. Mais moderno, mais irreverente mas uma homenagem a um povo que sofre e ama de forma intensa. Para qualquer amante de livros românticos que nos transmitem mensagens importantes, este é um livro irresistível. Cheio de momentos de nos encher o coração, gargalhas vivaças e lágrimas emocionadas, Desculpa, mas quero Casar Contigo é um livro que marca.
Apesar de não ter lido o primeiro livro, não senti a falta dele, tirando os spoilers que me assaltavam a cada página mas que provocaram curiosidade e não frustração. Gostava de saber como tudo começou porque este livro foi uma surpresa tão grande que seria uma pena não regressar a Alex e Niki.
Leiam e percam-se porque mesmo que não seja um livro que vos vá ficar gravado é um daqueles que vos vai fazer sorrir.

6*

Sem comentários:

Enviar um comentário