quarta-feira, 9 de maio de 2012

Opinião - O Recife

Título Original: The Reef
Autor: Nora Roberts
Editora: Saída de Emergência
Número de Páginas: 368

Sinopse
 A arqueóloga marinha, Tate Beaumont, é apaixonada pela caça ao tesouro. Ao longo da vida, ela e o pai descobriram muitas riquezas fabulosas, mas há um tesouro que nunca conseguiram encontrar: a Maldição de Angelique - um amuleto com pedras preciosas, obscurecido pela lenda e manchado de sangue. Para encontrarem este artefacto precioso, os Beaumonts aceitam, hesitantemente, uma parceria com os mergulhadores Buck e Matthew Lassiter. Tate não fica feliz por partilhar o seu sonho, mas não tem alternativa.
E, à medida que os Beaumonts e os Lassiters disponibilizam recursos para localizar a Maldição de Angelique, as águas das Caraíbas adensam-se com desilusões sombrias e ameaças escondidas. A parceria entre as famílias é posta em causa quando Matthew se recusa a partilhar informação - incluindo a verdade sobre a morte misteriosa do seu pai, alguns anos antes. E conforme Tate e Matthew avançam com a sua desconfortável aliança… o perigo e o desejo ameaçam emergir.


Opinião 
 Nora Roberts é mais do que um fenómeno na literatura romântica. Primeira escritora a entrar para o Hall of Fame do Romance Writers of America, após inúmeras rejeições, hoje os seus livros são todos bestsellers e já vendeu mais de 4 milhões de cópias, firmando o seu lugar enquanto “rainha do romance”.
O Recife é um desses livros que conquistou leitoras por todo o mundo, um livro em que podemos contar com todos os ingredientes habituais numa leitura “noriana” num cenário idílico com um dos temas preferidos da escritora: uma maldição em nome do amor que perdurará séculos e está enterrada no fundo do mar.
Nora Roberts é uma das minhas escritoras de eleição e a minha companhia nos maus momentos. Por mais improvável que possa parecer, foi esta autora que me deu a conhecer a editora Saída de Emergência, muito antes do meu amor à fantasia. E este livro é um conjunto de tudo aquilo que me chega à alma. Os piratas fazem parte do meu imaginário desde pequena, a História é a minha vida e o mar o meu mundo desde sempre. Por isso, não é de espantar que este livro fosse um dos meus mais queridos da autora, o que, efectivamente, aconteceu.
Mais uma vez, temos romance e mistério, um artefacto valioso e antigo com uma maldição, uma história de amor mal acabada e uma que poderá curar as feridas do passado, tudo aquilo que um leitor desta autora gosta, mais, um novo cenário. Em pleno alto mar e dentro dele, esta história ganha contornos inigualáveis e mostra que Nora pode muito bem ultrapassar-se a si mesma.
As personagens da autora são sempre inesquecíveis mas temo bem que estas passaram a constar da minha lista dos preferidos. Tate e Matthew são um dos casais mais amorosos, divertidos e maravilhosos da escritora e enquadram-se na perfeição com o enredo que O Recife nos transmite e com as restantes personagens, também elas um marco entre as outras e que deixarão saudades. Apesar de neste livro não existir grande mistério, o vilão é, sem dúvida, um dos mais carismáticos que Nora já nos proporcionou.
Num livro em que a receita é mais que sobejamente conhecida, a escritora continua a surpreender e, para isso, muito valeu o cenário idílico deste livro. Senti-me trepidar com cada descrição do mar e do seu fundo, dos barcos afundados, dos tesouros descobertos, tudo isso fez com que a historiadora em mim quisesse arrancar tudo aquilo do livro e poder observar de perto cada maravilhosa descoberta.
Muito se deve elogiar Nora pelo cuidado que teve em pesquisar cada etapa de uma descoberta arqueológica, cada pormenor inerente a um simples objecto, os materiais que são utilizados, a estrutura dos barcos. Tudo isso faz com que seja uma delícia ler este livro mas também ajuda a paixão com que a autora nos transmite a descoberta, a necessidade de saber a história por trás, de proteger o passado e mantê-lo para as gerações futuras.
De resto, em termos de história, este livro pareceu-me diferente dos restantes, o que contribuiu não só para matar saudades deste tipo de leitura mas também para surpreender os leitores mais assíduos. Afinal uma mudança de cenário ou tema, muitas vezes basta para nos deixar felizes. O enredo, está mais uma vez, bem constituído, o rumo que levou está perfeito demonstrando porque tem esta senhora tanto renome neste tipo de livros.
Por fim, tenho a dizer que este livro superou as expectativas e que foi um prazer retornar a Nora Roberts e que ainda bem que ainda tenho tantos livros dela para ler.

6*

4 comentários:

  1. Ai que tenho este para ler e me parece que vai combinar na perfeição com o início do bom tempo e as férias já a espreitar :)
    Obrigada pela lembrança (vem mesmo a calhar para mim) ;)

    ResponderEliminar
  2. Vai sim Liliana, o livro é tão giro e com muito sol e mar =P

    De nada =D

    ResponderEliminar
  3. Olá,

    Antes demais as minhas desculpas por só agora "aparecer" mas nem sempre temos tempo / paciência para ir a vários lados :(, embora goste sempre de aqui vir ;)

    Por acaso já li um livro da Nora (A Dama Negra) e fiquei surpreendido pela positiva pela qualidade de escrita, pensava que era só romance mas longe disso.

    Penso que este livro está nas escolhas na compra de 2 leve um 3 quem sabe se não volto a ler a Norinha :D

    BJS

    ResponderEliminar
  4. Olá,

    Realmente já cá fazias falta por estes lados ;)

    Adorei esse livro, foi um dos meus preferidos dela, e este não fica nada atrás por isso é de aproveitar =D

    beijinhos

    ResponderEliminar