sexta-feira, 31 de agosto de 2012

Opinião - As Cinquenta Sombras de Grey

Título Original: Fifty Shades of Grey (#1 Fifty Shades of Grey)
Autor: E. L. James
Editora: Lua de Papel
Número de Páginas: 552

Sinopse
 As Cinquenta Sombras de Grey é um romance obsessivo, viciante e que fica na nossa memória para sempre. Anastasia Steele é uma estudante de literatura jovem e inexperiente. Christian Grey é o temido e carismático presidente de uma poderosa corporação internacional. O destino levará Anastasia a entrevistá-lo para um jornal universitário. No ambiente sofisticado e luxuoso de um arranha-céus, ela descobre-se estranhamente atraída por aquele homem enigmático, sombrio, cuja beleza corta a respiração. Voltarão a encontrar-se dias mais tarde, por acaso ou talvez não. O implacável homem de negócios revela-se incapaz de resistir ao discreto charme da estudante. Ele quer desesperadamente possuí-la. Mas apenas se ela aceitar os bizarros termos que ele propõe... Anastasia hesita. Todo aquele poder a assusta – os aviões privados, os carros topo de gama, os guarda-costas... Mas teme ainda mais as peculiares inclinações de Grey, as suas exigências, a obsessão pelo controlo… E uma voracidade sexual que parece não conhecer quaisquer limites. Dividida entre os negros segredos que ele esconde e o seu próprio e irreprimível desejo, Anastasia vacila. Estará pronta para ceder? Para entrar finalmente no Quarto Vermelho da Dor? As Cinquenta Sombras de Grey é o primeiro volume da trilogia de E.L. James que é já o maior fenómeno literário do ano em todos os países onde foi publicada, da Austrália aos Estados Unidos, da Inglaterra à Nova Zelândia.

Opinião 
 Mãe de dois filhos, esposa e a trabalhar na televisão, E. L. James está na boca do mundo desde que a sua fanfic da saga Luz e Escuridão foi publicada em livro, estando a trilogia completa e um quarto livro a caminho. As Cinquenta Sombras de Grey é um fenómeno literário desde o seu lançamento no ano passado, desde mães a jovens fãs da obra de Stephanie Meyer, este livro não tem deixado ninguém indiferente, oscilando entre o amor e o ódio dos leitores. Aqui em Portugal, o primeiro livro já vai na quinta edição e o segundo será lançado em Outubro.

Chocante para uns, atractivo para outros, já foi traduzido em 37 línguas, é bestseller na maioria dos países e já vendeu mais de 40 milhões de cópias por todo o mundo, detendo o recorde de vendas mais rápidas de sempre, ultrapassando Harry Potter. Graças a este sucesso literário, E. L. James foi considerada uma das 100 pessoas mais influentes do ano.
Este livro não estava na minha wishlist pela simples razão de ser uma fanfic da saga da Stephanie Meyer e pelas péssimas opiniões que li de pessoas com quem partilho gostos literários mas, como gosto de ter a minha própria opinião e gosto de saber do que falo e, até tem havido excelentes opiniões, a minha curiosidade levou a melhor e o livro lá veio cá para casa, mesmo tendo esperado algum tempo para ser lido.
A verdade, é que há muito que eu devia ter aprendido a seguir o meu instinto, portanto, devia ter fugido deste livro a sete pés em vez de lhe dar uma oportunidade, que sinceramente ele não merece. Não por o livro ser chocante, não por as cenas de BDSM serem muito fortes mas porque, pura e simplesmente, E. L. James não sabe escrever livros. A escrita da autora é má, simplória, pouco atractiva e choca mais pela falta de qualidade do que pelas cenas sexuais. Ler este livro foi, para mim, uma perda de tempo, dinheiro e uma lição a aprender sobre as minhas compras e instintos. Até escrever a opinião dele, me parece uma perda de tempo mas já que o li há que justificar as minhas impressões.
Para além de uma escrita fraca, as personagens da autora, e falo de Anna e Grey porque as outras estão lá apenas para preencher páginas e não têm qualquer objectivo no livro, são daquelas personagens que a minha mente não esquecerá de tão más que são. Continuo sem perceber como é que uma moça licenciada, que lê e supostamente é culta consegue ser tão nada. Anna não tem personalidade, força de vontade, humor, nem sequer dá pena, é apenas irritante, sem sal, aborrecida e consegue destruir a nossa paciência numa única fala. Se a ideia era ter uma Bella, acho que a autora conseguiu ultrapassá-la. Anna é ainda mais vazia, é uma personagem que não foi construída, é bidimensional, é um protótipo e mais ela não merece da minha parte. Quanto a Grey, é o típico cúmulo a que um homem pode chegar e de atractivo, sensual tem pouco. Perseguidor, obsessivo, controlador, irritante, é o tipo que não quero de certeza à minha porta e, peço desculpa, mas não consigo sentir mais do que uma fúria imensa por esta personagem na qual a autora depositou toda a sua energia.
Esta história não tem alicerces, seguimento, construção, não foi sequer pensada, é uma algaraviada de pensamentos e cenas parvas e enjoativas. Quanto ao BDSM do livro, não o achei chocante pelo assunto em si mas porque estas devem ter sido as piores cenas de sexo que alguma vez li. Chocante não é a cena do tampão, é sim a forma como a escritora apresenta a relação dos protagonistas, a forma como este livro apresenta o sexo, a forma como as coisas mais ignóbeis são apresentadas como normais. Já o BDSM, deve ter sido a única coisa menos chocante de tão suave que foi.
Por último, e não podia deixar este assunto sem comentário, a vozinha da deusa interior da Anna consegue ser ainda mais idiota que ela. Não quero nem vou tentar perceber qual foi a ideia ao colocar este “acessório” na narrativa porque conseguia ser mais irritante do que tudo o resto junto. Ridículo, não chega para adjectivar a suposta consciência da Anna, e é engraçado porque sem esta parte, possivelmente o livro teria menos partes nulas porque ainda estou para perceber porque era preciso 500 páginas para isto.
Como já devem ter percebido, eu fiquei na facção dos que odiou e espera nunca mais olhar para este livro. Se gostarem, força leiam mas ninguém me convence a voltar a olhar para isto nem como é possível isto já ter vendido tanto. Eu dispenso.

1*

12 comentários:

  1. Preach sister!

    Here: http://i837.photobucket.com/albums/zz296/Sydnieraquel/Irequestthehighestoffives.gif

    Só voltarei a pegar no dito livro (dizendo a verdade, eu nem lhe peguei, saquei-o mesmo XD) para fazer macumba e gozar com ele nas internetes :P

    Kiss, kiss

    ResponderEliminar
  2. Um. Quarto. Livro. A. Caminho??? Eu perguntei-me na minha opinião o que seria a versão do Amanhecer da autora, mas era uma pergunta retórica. xD

    Enfim, acho que partilhamos muitas queixas no que toca ao livro. A única diferença é que de vez em quando tenho uma vaga curiosidade mórbida de continuar a observar/ler o trainwreck. Mas depois lembro-me do quão disfuncionais os protagonistas são e passa-me logo a vontade.

    ResponderEliminar
  3. Oh Mar, tu tens ideias geniais! Para quando a macumba??=p

    Oh yeah my sisiter xD A mulher é mesmo sádica!
    Que te passe que eu não te quero disfuncional também!!=O

    ResponderEliminar
  4. Patrícia, adorei a tua opinião! Não li o livro, mas era exactamente a ideia que tinha dele :p
    Bem, agora como a Mar diz, podes gozar à vontade porque sabes do que falas :p
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  5. Minha querida Kel, o que eu já tenho gozado com isto xD Assim poupas-te a este sofrimento atroz!=p

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  6. Mesmo!! Mas acredito que dê mesmo para gozar :p

    ResponderEliminar
  7. Não podia concordar mais! E calma, eu ainda me pus a ler o resto da trilogia! Ahahah
    Não tenho mesmo pena de mim! ::)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tu não fizeste isso!=O Não pode!!
      Pois não tens não! Ai o horror, a tragédia!;_;

      Eliminar
  8. hum... ainda bem que já sinto ódio pelo livro só de o ver na livraria. O ódio é tanto que nem consigo pensar em traze-lo para casa

    ResponderEliminar
  9. Este sempre foi um livro que nunca tive vontade nenhuma de ler, mas penso em ler um dia, tal como tu, para formar uma opinião própria. Mas, apesar de nunca o ter lido, sempre tive a impressão de que entraria para o grupo daqueles que detestam. Gostei bastante da tua opinião, não por ela ser negativa, mas por ter sido aquela que melhor justificou o porquê de não ter gostado. Penso que me deu uma ideia clara daquilo que encontrarei, e, embora saiba que as opiniões divergem sempre, poucas das tuas reviews falharam no que toca a caracterizar um livro do qual já tive experiência - aliás, não me recordo de nenhum caso desses agora. Aproveito para confessar que adoro os textos que escreves. Quando existe algum livro que quero muito ler ou uma obra que já li e gostava de saber as opiniões de outros, é no teu blogue que onde encontro aquilo que procuro ou capto algo mais do que o que eu captei. Em suma, sempre considerei as tuas opiniões excelentes e realmente espero continuar a ter a oportunidade de as ler enquanto puder.
    Beijinhos!
    *Mistery

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pensa em todas as coisas boas que ainda tens para ler e naquelas que se calhar nunca vamos ter tempo para o fazer e concentra-te nisso, porque perder uma hora que seja a ler isto é um desperdício. Mas lá está, eu também o fiz porque tenho uma curiosidade mórbida que de vez em quando não me larga e graças à qual descobri que género de livros não gosto. Às vezes é preciso ler coisas más para valorizarmos as boas =)

      Woooooowwww *.* Ok, agora fiquei emocionada. Fico muito feliz por saber que as minhas opiniões te ajudam e te agradam, e que te revês nelas quando já leste o livro. Nunca irás perceber possivelmente o quanto as tuas palavras acabaram de me tocar e foram importantes para mim. Muito, muito obrigada =')

      E pela parte que me toca, terás oportunidade de as ler por muito tempo, muito tempo.

      Beijinhos e boas leituras

      Eliminar