quarta-feira, 1 de agosto de 2012

Opinião - Um Erro Inconfessável

Título Original: Our Wicked Mistake (#2 Notorious Bachelors)
Autor: Emma Wildes
Editora: Planeta Manuscrito
Número de Páginas: 320

Sinopse
 Um erro inconfessável convida o leitor a entrar numa história de amor e paixão avassaladores. Para Madeline, o homem que ela mais odeia no mundo, Luke Daudet, é o único que pode ajudá-la. Quando o falecido marido Colin escreveu algo que, contém pormenores íntimos sobre a sua vida conjugal, foi roubado por um homem que espera usá-lo para fazer chantagem com Madeline. Felizmente para Madeline, o amante é capaz de recuperar o documento. Agora o único problema dela é como dizer «obrigado» a Luke pela ajuda…conseguirá resistir?

Opinião

Emma Wildes costuma dizer que “adora escrever porque adora ler”, e passou de uma licenciatura de Geologia para autora de romances históricos eróticos sem grandes problemas. Já ganhou alguns prémios mesmo andando despercebida no meio das “grandes damas” do género e desde a sua estreia enquanto escritora em 2005 que tem angariado fãs e se evidenciado pouco a pouco num meio onde faltam leitoras e escritoras.
Um Erro Inconfessável é o segundo volume de uma série iniciada com Um Homem Imoral, Notorious Bachelors que relata as aventuras apaixonadas de três companheiros regressados da guerra contra Napoleão para outro campo de batalha ainda mais perigoso: a alta sociedade londrina.
Sendo um género que já li mais e que já me agradou mais, continua a ser um bom entretenimento para as tardes de domingo, para depois de uma leitura pesada ou mesmo para quando não sabemos o que ler. Já pouco ou nada me espanta e chama a atenção neste género mas desde que Emma Wildes foi traduzida por cá que as capas, sinopses e títulos sugestivos me têm chamado a atenção mas não me sentia suficientemente tentada para os comprar, tendo lido este livro por intermédio do Clube BlogRing.
Não posso dizer que me tenha surpreendido por aí além mas não posso retirar à autora os elogios que ela merece por tentar criar algo mais do que um simples enredo em volta de um casal na sociedade londrina do século XIX, o que muitas vezes parece ser um acessório deste tipo de livro e não parte dele, o que não acontece neste livro em específico, visto que acompanhamos o casal protagonista em vários hábitos credíveis do dia-a-dia do seu grupo social para além do tempo que passam na cama. Também em outros pormenores nos podemos sentir situados no tempo histórico, o que pelo menos, deu credibilidade à história e criou alguns dos melhores momentos do livro.
A autora decidiu dar-nos um ar da sua graça ao dar-nos não uma mas duas histórias de amor completamente diferentes com um pouco de espionagem e aventura à mistura, refrescando este tipo de leitura e evitando que se entrasse na monotonia, que podia ter sido causada se a narrativa se centrasse só e apenas no casal principal, Luke e Madeline. Como é costume neste tipo de livro, a autora também caiu no erro crasso de acelerar a relação dos protagonistas que mesmo justificada pelo anterior relacionamento de ambos não consegue ser suficientemente forte a meu ver pois são ambos duas pessoas fortes e racionais demais para o tipo de situação que se criou entre os dois. Não quer dizer que não tenha havido bons momentos entre os dois mas para mim faltou alguma coisa, pois Luke e Madeline começam o livro como duas personagens até interessantes e algo diferentes das do costume mas vão perdendo a intensidade e personalidade ao longo da história o que causou o mesmo ao romance. Já o segundo casalinho é amoroso, divertido e deviam ter um livro só deles, pois proporcionaram os grandes momentos do livro graças às personalidades mais irónicas e combativas e às discussões brilhantes entre os dois.
Quanto a parte da espionagem pareceu-me forçada e não muito coerente mesmo que a autora tenha conseguido dar acção e movimento ao livro através dela e que o final tenha sido melhor por causa dela. Não me parece que começar o livro de uma forma e acabá-lo de outra tenha sido uma boa ideia pois a transição devia ter sido mais desenvolvida e aí o livro teria sido melhor do que foi. Aliás, o livro teve alguns momentos meio perdidos que podiam ter sido perfeitamente evitados se tivesse havido um pouco mais de elaboração mas não é por isso que deixa de ser uma boa leitura para uma tarde de descanso e para desanuviar, visto que Emma Wildes até consegue desmarcar-se um pouco do típico estilo do género.
Pode não me ter reconquistado para o género mas é uma autora que até posso reler porque sei que me irá proporcionar bons momentos de entretenimento.


3* Opinião Clube BlogRing seguindo a classificação do Goodreads

Sem comentários:

Enviar um comentário