segunda-feira, 3 de setembro de 2012

Opinião - Tatuagem

Título Original: Ink Exchange (#2 Wicked Lovely)
Autor: Melissa Marr
Editora: Saída de Emergência
Número de Páginas: 272

Sinopse
 Leslie, de dezassete anos, não sabe nada sobre fadas nem
sobre as suas lutas obscuras pelo poder. Quando se sente
atraída por uma tatuagem estranhamente bela, só sabe que tem de a ter, convencendo-se de ter encontrado um símbolo tangível das mudanças de que precisa desesperadamente na sua vida. A tatuagem traz mesmo mudanças - não do tipo que Leslie sonhou, mas mudanças sinistras e irresistíveis, que ligam Leslie a Irial, um rei das fadas tenebroso e temível que luta pela alma da sua corte. Aos poucos, Leslie é arrastada cada vez mais para dentro do mundo feérico, incapaz de resistir ao seu fascínio e de compreender os seus perigos... Melissa Marr dá seguimento aos seus contos de Fadas numa história sombria e arrebatadora de tentação e consequências, e de heroísmo quando menos se espera.

Opinião 
 Multifacetada na carreira, Melissa Marr foi professora de Literatura, empregada num bar de motards, tatuadora e ainda trabalhou numa escavação arqueológica. Já viveu em vários estados e considera que tudo o que fez é pesquisa para os seus livros. Depois de ter crescido a acreditar em fadas, fantasmas e outras criaturas, decidiu aplicar os seus conhecimentos sobre o folclore na sua escrita aliada ao mundo que sempre a fascinou.

Escreveu Wicked Lovely e agora é escritora a tempo inteiro. Uma das precedentes do romance paranormal YA, Melissa decidiu dar vida aos contos de fadas de uma forma moderna e obscura onde as fadas vivem lado a lado com os seres humanos e não são nada de fiar.
Há dois anos atrás, quando Amores Rebeldes foi publicado, o factor fadas levou-me a comprar o livro e a lê-lo num ápice. Uma leitura fácil e diferente no género mas que não me levou a seguir a série. Apesar de ter-me sentido atraída pela sinopse deste Tatuagem, algo na leitura anterior me impediu de o comprar, e com tantos livros que tenho descoberto, Wicked Lovely ficou perdida na minha memória até que através de uma troca, me vi com o segundo volume na mão.
Lembro-me que uma das coisas que gostei na altura foi as fadas não serem boazinhas e de não haver romance em demasia e que a protagonista não tivesse de ficar com o mais belo e perfeito mas a caracterização das Cortes feéricas pareceu-me fraca na altura. Com este livro, a autora incidiu sobre a Corte pela qual me sentia mais curiosa, a das Trevas que me parecia ter mais material interessante do que a do Verão e, sobre o significado e a força de uma tatuagem sobre a pessoa que a coloca na pele. As ideias da autora são interessantes e, até certo ponto, até bem conseguidas, o que dá um equilíbrio a narrativa contudo não posso deixar de pensar que autora podia ter ultrapassado mais barreiras, que a narrativa podia ser mais obscura e as personagens mais fortes. Por mais que tenha tentado sair da doçura e delicadeza associada as fadas, Wicked Lovely, pelo menos nestes dois volumes, ainda está muito presa a essa ideia, o que sufoca a originalidade das suas fadas.
Tatuagem, mesmo assim, consegue ser um livro mais bem conseguido, talvez por incidir na parte mais cruel deste mundo e, assim, ter inerente algumas novidades que tornam a leitura deste segundo volume mais apelativa. Mais cruel e deprimente, as personagens deste segundo volume têm uma profundidade que no primeiro não encontrámos, talvez por serem membros das Trevas e terem de ter alguma negritude associada a elas. Apesar disso, não me senti satisfeita com a história pois a autora podia ter aproveitado para sair da área mais romântica e juvenil mas decidiu a mesma implicar um triângulo amoroso que só veio estragar a concepção deste livro. Se se tivesse mantido pela área negra, aprofundando-a, teria conseguido uma narrativa mais forte e atractiva e, o que acontece, é que após esta leitura senti o mesmo vazio de quando terminei o primeiro volume.
Esta não é uma série complexa nem tem uma escrita demasiado complicada ou juvenil, até é bastante directa e tenta fugir aos cânones do actual romance paranormal YA mas falto algo que leva a que estes livros não tenham tantos fãs e a mim parece-me que o que falta é verdadeira emoção. A sensação é de que não sentimos nada, não há nada que salte cá para fora e nos puxe para a história pois mesmo que estas personagens fossem mais ao meu gosto acabaram por se tornar um pouco indiferentes ao longo de leitura quando eu queria sentir com elas e não conseguia.
Não que eu não tenha gostado do livro, gostei mas queria muito mais do que ele realmente me deu. Infelizmente voltei a não me sentir tentada a seguir o resto da série pois enquanto leitora preciso de mais do que este livro me deu. Gosto do conceito mas continua a faltar qualquer coisa que não me permite gostar tanto do livro quanto queria.


1 comentário: