terça-feira, 27 de novembro de 2012

Opinião - Nunca Me Esqueças

Título Original: Remember Me
Autor: Lesley Pearse
Editora: Edições ASA
Número de Páginas: 432

Sinopse
 Até onde iria por amor?

Num dia…
Com um gesto apenas…
A vida de Mary mudou para sempre.

Naquele que seria o dia mais decisivo da sua vida, Mary – filha de humildes pescadores da Cornualha – traçou o seu destino ao roubar um chapéu. O seu castigo: a forca.
A sua única alternativa: recomeçar a vida no outro lado do mundo.
Dividida entre o sonho de começar de novo e o terror de não sobreviver a tão dura viagem, Mary ruma à Austrália, à época uma colónia de condenados. O novo continente revela-se um enorme desafio onde tudo é desconhecido… como desconhecida é a assombrosa sensação de encontrar o grande amor da sua vida. Apaixonada, Mary vai bater-se pelos seus sonhos sem reservas ou hesitações. E a sua luta ficará para sempre inscrita na História.

Inspirada por uma excepcional história verídica, Lesley Pearse – a rainha do romance inglês – apresenta-nos Mary Broad e, com ela, faz-nos embarcar numa montanha-russa de emoções únicas e inesquecíveis.


Opinião


Uma das escritoras inglesas mais amadas, Lesley Pearse tem fãs por todo o mundo e os seus livros já venderam mais de dois milhões de cópias. Sejam romances históricos, policiais ou romances contemporâneos, todos eles marcam os seus leitores pela força das suas personagens e pela forma como a autora consegue transmitir um misto de sensações em poucas palavras, sensações que ela própria já sentiu, uma vez que os seus livros se baseiam muitas vezes na sua própria experiência de vida, na sua auto-descoberta e luta por um lugar no mundo. Dramáticos pois Lesley nunca escolhe um caminho fácil para as suas personagens mas sem dúvida, também histórias comoventes onde a esperança nunca morre. Este livro é um romance histórico que aborda a colonização da Austrália no século XVIII e foi o primeiro livro da autora publicado em terras lusas no ano de 2008.
Baseado numa história verídica, Nunca Me Esqueças segue a linha e o estilo a que Pearse já nos habitou, uma escrita crua, muitas vezes trágica mas sempre forte e enternecedora, capaz de criar momentos de cortar a respiração, de provocar doces sorrisos ou lágrimas de sofrimento. Depois de ter lido Segue o Coração da mesma autora, nunca pensei que ela conseguisse, mais uma vez, deixar-me pregada à leitura num misto de sensações poderosas capazes de subjugar o leitor mas, também neste livro, me senti arrebatada pelas palavras de Lesley. Sendo uma história real que marcou o seu tempo, é sempre difícil realizar uma união coerente entre ficção e realidade mas a autora consegue-o de uma forma perfeita e coesa, e apesar da sua simpatia pela protagonista, não hesita em momento algum, em ser o mais verdadeira possível, mesmo que certas cenas possam chocar o leitor, apresenta os factos com uma mestria excepcional e consegue, através dos momentos mais ficcionais conquistar a nossa admiração por Mary Broad.
Confesso que não conhecia a história desta fascinante personalidade, nem conhecia muitos detalhes sobre a colonização australiana e, talvez por isso, me tenha sentido tão fascinada com esta história e com uma vontade enorme de estudar melhor o tema que a autora retrata neste livro. Do pouco que sei, acho que o livro está fiel em periodização histórica e pormenores de época pois quantos relatos atrozes, tão parecidos a este, nos chegaram até hoje e nos surpreenderam pela mesma falta de humanidade, sede de poder e condições miseráveis? Em cada descrição, seja da viagem, da chegada ouda luta pela sobrevivência, o leitor vai-se arrepiar, fechar os olhos e sentir, senão ódio, pelo menos um desprezo profundo pelas condições sociais que resultam em tais actos de desespero e que levavam a que só o os mais fortes ou os bafejados pela sorte persistissem. Atrevo-me a dizer que esta leitura levará a que muitos pensem nas condições em que as várias colonizações foram feitas, na coragem dos homens, e não só, que partiam para o desconhecido e incendiará um orgulho nestas gentes que por si, obrigadas ou por vontade própria, construíram do nada, muitas vezes sem apoios, verdadeiras nações.
Quanto à caracterização das personagens é em Mary Broad que se centra toda a história e à volta da qual todas as personagens giram. O leitor terá muitas vezes a sensação que Mary é perfeita, um exemplo da sociedade, um modelo a seguir, uma vítima dos seus crimes e, tanta exaltação, da personagem tanto nos pode fazer admirá-la como a acharmos que a autora exagera nas qualidades da protagonista, o que pode enfadar o leitor durante a leitura. Na minha perspectiva, Lesley admira Mary e considera-a uma heroína, idealizando-a à imagem da sua protagonista típica, uma mulher de coragem, inteligente, apaixonada e práctica que não deixa de ter defeitos e da qual a autora não esconde os seus actos mais degradantes, criando simpatia e admiração por esta personagem, que cresce e ganha experiência ao longo da história, surpreendendo-nos muitas vezes, não pela sua perfeição, mas imperfeição.
Se Mary sobressaí claramente, as restantes personagens estão lá para exercer um papel no seu destino e falham na maioria das vezes por serem estereotipadas, faltando-lhes personalidade. Poucas são as personagens que nos conquistam como Mary ou a que a conseguem suprimir pois este livro é sobre ela, a sua vida e a sua história. Mas a autora consegue combater a debilidade das personagens com descrições fortes e uma narrativa envolvente que nos levam até ao outro lado mundo, a locais exóticos e perigosos onde a coragem é a única que nos pode salvar. Cheio de momentos dramáticos, capazes de provocar o maior dos desgostos, esta narrativa é uma aventura e uma lição de vida, que no meio da adversidade também é capaz da maior das purezas e dos actos mais doces.
Nunca Me Esqueças é um relato belo, surpreendente e tremendamente trágico de uma mulher de garra, de um mundo em mudança e do nascimento de um país. Aconselho a quem não tem medo de histórias tristes, a quem tem sempre uma réstia de esperança e a quem admira a mulher, a coragem e quem faz a diferença no mundo.


4*Opinião Clube BlogRing seguindo a classificação do Goodreads

10 comentários:

  1. Adorei a opinião e senti o mesmo! O livro é fantástico!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada Sandra! Alguns momentos não te lembraram o "Grande Amor da Minha Vida" ou o inverso?

      beijinhos e boas leituras

      Eliminar
  2. http://www.imdb.com/title/tt0428134/
    esta serie fala dessa mesma Mary, mas não é uma adaptação do livro em questão.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada Madrigal!=D vou ver se dou uma espreitadela.

      Eliminar
  3. Respostas
    1. Este, o Procuro-te e o Segue o Coração-Não Olhes para Trás

      Eliminar
    2. Foi os que eu li tirando o Procuro-te que está a minha espera na estante *.*

      Eliminar
    3. O Procuro-te foi o 1º que li dela e também é muito giro ;)

      Eliminar
  4. Olá :)
    Este foi o primeiro livro que li da Lesly e fiquei completamente agarrada a ela... Dos que li é díficil dizer aquele que gostei mais. Aquele que mais me tocou foi o Segue o teu coração! Estou muito curiosa em relação a todos os outros que já foram lançados em Portugal!

    Bjs

    ResponderEliminar