quinta-feira, 13 de dezembro de 2012

Opinião - O Vizinho

Título Original: The Neighbor (#3 Detective D.D. Warren)
Autor: Lisa Gardner
Editora: Europa América
Número de Páginas: 357

Sinopse
 De uma mestra do suspense chega-nos esta história de arrepiar, que explora os perigos que estão sempre à espreita, bem mais perto do que imagina. Pois até numa família perfeita, nunca sabemos o que se passa dentro um lar, quando as portas se fecham...
Eis o que aconteceu...
Era um caso que iria sem dúvida gerar um frenesim mediático - uma jovem mãe, loura e bonita, desaparece sem deixar rasto da sua casa no sul de Boston, deixando para trás a sua filha de quatro anos como única testemunha, e um marido tão atraente quanto reservado como principal suspeito.
Nas últimas seis horas...
Mas a partir do momento em que o Sargento-Detective D. D. Warren chega ao pequeno chalé dos Jones, ela tem a sensação de que algo está errado com a imagem de aparentemente normalidade que o casal tanto se esforçou para manter. À primeira vista, Jason e Sandra Jones eram como qualquer outro casal trabalhador e com urna filha de quatro anos para criar. Mas abaixo da superfície calma, espreitavam as trevas... do mundo como o conheci. . .
Com o relógio a avançar e a vida de uma jovem desaparecida em risco e a tempestade mediática a aumentar, Jason Jones parece mais interessado em destruir provas e isolar a filha do que em procurar a sua "amada›› esposa. Estará o marido perfeito a tentar esconder a culpa - ou apenas a tentar esconder? E será a única testemunha do crime a próxima vítima do assassino?


Opinião   
Criada por dois contabilistas numa casa normal, Lisa teve uma infância normal e fez parte de uma família normal, por isso, aposta com quem quiser, que foi tanta normalidade que a fez querer escrever livros onde o crime, o medo e o suspense imperam. Aos 18 tentou escrever um romance porque tinha de fazer alguma coisa durante o dia antes de partir para o emprego de verão que arranjou como empregada de mesa, uma aventura que lhe chamuscou o cabelo várias vezes e a fez afastar-se do serviço de comida para sempre.

Apesar de ter vendido esse primeiro romance no primeiro ano de faculdade, Lisa procurou ter um emprego a sério, e consultora de gestão foi a melhor decisão que poderia ter tomado. Depois de doze horas de trabalho diárias, escrevia romances pela noite fora e, ao fim, de treze romances publicados percebeu que precisava de uma mudança urgente e foi quando surgiu o seu primeiro policial The Perfect Husband. Hoje é uma das grandes autoras do género e a sua série sobre a detective D.D. Warren é um sucesso de vendas.

O policial não é, de facto, um género de eleição. Não porque não goste ou abomine, eu adoro a Agatha Christie, mas porque enjoei do género há muito tempo e o resultado foi eu fugir dos policiais naquilo que mais gosto, os livros, o que não significa que eu não regresse ao género de tempos a tempos como foi o caso presente. Lisa Gardner é um dos grandes nomes do género e uma das mulheres que mostrou que quando se trata de crimes e mistério elas fazem o trabalho muito melhor do que eles.

Um thriller psicológico que põe em causa a normalidade e a nossa suposta segurança diária, O Vizinho é um quebra-cabeças cujas peças se vão articulando até se formar um quadro imprevisto e assustador, cujo fim fará com que o leitor nunca mais olhe para a banalidade da mesma forma. Um policial moderno escrito de uma forma crua e tensa por Lisa, este é um livro bem detalhado e que expõe em pormenor muitas questões deste século, abordando temas fortes, capazes de fazer arrepiar e agarrar o leitor na mesma medida.

Um desaparecimento que parece de simples resolução vai levar caminhos inesperados e os segredos e erros das pessoas à volta de Sandy, uma jovem bela, mãe e esposa perfeita, vão ser postos a descoberto e todos têm algo a esconder, todos são culpados. O que começa com uma premissa simples adensa-se de cada vez que uma questão é respondida e um novo peão aparece, trazendo mais enigmas para um desaparecimento que pouco sentido faz. Dos suspeitos do costume aos desenvolvimentos mais inesperados, vamos assistindo ao desvendamento de segredos obscuros, ligações perigosas e passados tenebrosos. Numa narrativa bem construída, Lisa junta vários elementos de suspense, que tornam este policial um quebra-cabeças com muitas voltas e vertentes e que vai levar  o leitor a perseguir estas páginas com avidez até resolver todo o mistério e a descobrir o verdadeiro culpado e o destino de Sandy.

Ao podermos conhecer cada personagem a fundo, com POV’s pessoais que desvendam os anseios e aquilo que as personagens escondem do resto do mundo, conseguimos compreender e a conhecer essas personagens a fundo e perceber que o que parece simples está longe de o ser. Um jovem sossegado que não o é, uma esposa perfeita que pode não o ser e um marido maravilhoso que os olhos nada revelam, são alguns dos problemas que a detective D. D. Warrens vai ter de enfrentar numa investigação em que ela parece ser a última a saber de tudo. As personagens são profundas, humanas e às vezes, assustadoras, outras, realistas e dignas de compaixão. O que pode levar à repulsa é explicado do ponto de vista do criminoso, os actos mais inconcebíveis são contados como o relato de quem já nada pode chocar.

De todas as personagens, a que mais me conquistou, se calhar por estar tão afastada de todas as outras, foi a pequena Ree. A maneira como a autora conseguiu colocar na criança todo o dramatismo e amor que os pais lhe devotavam, tornou esta personagem uma surpresa, visto que as crianças são provavelmente das personagens mais difíceis de fazer e ainda mais neste tipo de livros. Uma coisa que me fez confusão, foi os detectives participarem tão pouco da acção ou só juntarem as peças quando todos já o haviam feito, devia haver mais aparecimento e participação de D. D. e Miller, afinal eles é que deviam descobrir o que realmente se passou.

No geral, este é um policial bem escrito, com um mistério bem montado mas que a dada altura me pareceu ter demasiadas peças, confundindo-se certos elementos, que em alturas podiam ser exagerados, e um fim que podia ser mais satisfatório, senti que me faltou algo ali depois de todas as reviravoltas que o livro levou. Um pouco mais de simplicidade teria feito o livro ganhar mais alguma densidade.

Aos fãs de crimes e psicologia retorcida, dos que não precisam de sangue para apreciar um bom policial, aos fãs de Lisa e aos que estão a descobrir o género, este é um livro que poderá proporcionar-vos o que procuram, entretenimento denso, tenso e longe de ser muito feliz.

3*Opinião Clube BlogRing seguindo a classificação do Goodreads

4 comentários:

  1. Olá!

    Deixei um selinho para o blog em: http://howtoliveathousandlives.blogspot.pt/2012/12/campanha-de-incentivo-leitura-selo.html

    Boas leituras! ;)

    ResponderEliminar
  2. Bom tarde :)

    tenho um selinho para ti lá no Romances de Mesinha-de-Cabeceira!!

    Teresa Araújo
    http://romances-de-mesinha-de-cabeceira.blogspot.pt/

    Beijinhos!

    ResponderEliminar