terça-feira, 8 de janeiro de 2013

Opinião - North and South

Título Original: North and South
Autor: Elizabeth Gaskell
Editora: HarperCollins
Número de Páginas: 565

Sinopse
 ‘But the cloud never comes in that quarter of the horizon from which we watch for it.’

When Margaret Hale is uprooted from Hampshire and moves to the industrial town of Milton in the North of England, her whole world changes. As her sympathy for the town’s mill workers grows, her sense of social injustice piques and she passionately fights their corner. However, just as she disputes the mill owner, John Thornton’s treatment of his workers, she cannot deny her growing attraction to him. Highlighting the changing landscape of nineteenth-century Britain and championing the role of women in Victorian society, Gaskell brilliantly captures the lives of ordinary people through one of her strongest female characters in literature.


Opinião
Autora da primeira biografia de Charlotte Brönte, sua amiga íntima e apreciadora do seu trabalho, Elizabeth Gaskell recebia em sua casa várias visitas distintas do plano intelectual inglês, incluindo Charles Dickens, com quem colaborou em dois contos góticos e a motivou a continuar a escrever. Mais do que isso, é uma das figuras mais importantes do movimento literário vitoriano, sendo os seus seis livros, escritos entre 1848 e 1865, um marco da literatura inglesa, retratos fiéis de uma época e dos estratos sociais da Inglaterra do século XIX, em plena Revolução Industrial, o que faz deles objectos de estudo para historiadores.

Escrito entre 1854 e 1855, North and South foi o quarto livro escrito e publicado da autora e é a sua obra mais conhecida, tendo ganho ainda mais notoriedade com a série produzida pela BBC em 2004, com o mesmo nome e que contou com Richard Armitage como John Thornton e Daniela Denby-Ashe como Margaret Hale. Como todos os livros de Mrs. Gaskell, é um retrato fiel de uma sociedade nos seus vários pontos de vista e da mudança que a industrialização provocou na Inglaterra. É, mais do que isso, uma das histórias de amor mais profundas e amadas da Literatura e não se encontra traduzido para a nossa língua.

Um amor dividido pela tradição e pela mudança, pelo verde brilhante e o fumo cinzento, capaz de ultrapassar quaisquer barreiras, assim podia ser resumido North and South mas ele é muito mais que uma história de amores e desencontros, muito mais que uma guerra de vontades e declarações apaixonadas, é a história de um país, de um povo, de uma época, contada pelos olhos de quem a viu e conseguiu entender os dois lados da batalha. Retrato fiel da Industrialização inglesa, dos seus problemas e novos conceitos, da forma como transformou não só toda uma sociedade, como todo um país para se estender à restante Europa, este livro apresenta o título adequado pois toda a sua estrutura se desenvolve a partir das diferenças entre o Norte e o Sul inglês, entre as fábricas e os campos, entre os senhores que construíram a sua fortuna através de um trabalho árduo e de um estatuto social baixo e aqueles que se consideravam cavalheiros, burgueses com estatuto e que nunca sujaram as mãos.

Com uma escrita exímia, plena de força e subtilezas, Gaskell dá-nos algo vivo, um quadro que tanto pode estar repleto de cores como vazio delas mas que não deixa de ter beleza e poder em qualquer uma das vertentes. Numa narrativa pontada por momentos de grande emoção, discursos ora inflamados como filosóficos, a autora apresenta-nos duas visões, duas formas de pensar e estar, duas personalidades distintas que defenderão sempre o seu lado sem nunca querer compreender o outro. Sem nunca esquecer todos os que fazem parte deste mundo, todos os lados e pontos de vista, Elizabeth dá-nos os patrões, os operários, os burgueses ricos ou menos ricos, os oficiais, os trabalhadores liberais, numa dança perfeita entre tradição e mudança, entre antigo e novo, entre cavalheiros e os que não são, entre intelectuais e trabalhadores.

Em termos sociais, económicos e culturais, temos uma obra gigante, cheia de camadas, onde diálogos e descrições são feitos para nos fazer pensar, onde cada momento nos leva ao seguinte e que no seu todo consegue apresentar uma perspectiva perfeita deste mundo em dualidade. A representar essa dualidade temos John, um patrão industrial com um coração de pedra e muito pouco emocional mas que procura ser mais do que aparenta e Margaret, a filha de um vigário com dúvidas espirituais, criada entre o campo e a casa da tia e com ideias muito próprias. Estes dois formam um dos casais mais maravilhosos e mais profundos da literatura clássica, pois entre discussões sobre os seus modos de vida diferentes, declarações apaixonadas, desentendidos e fugas, eles vão criar uma relação que vai crescendo sem ninguém dar conta, tão profunda quanto a temática do livro e tão bela quanto a mais romântica história de amor. Diferentes mas com personalidades fortes, eles são o casal perfeito e representam na perfeição a dicotomia de North and South.

Para além de uma narrativa plena em acontecimentos, este livro está cheio de personagens ricas em personalidades e feitios, em que cada uma representa uma ideia ou um estatuto ou mesmo as várias facetas de um estrato social. Repletas de profundidade, cheias de carisma e ideias, são elas que dão vida à história e que tornam este livro mais do que um retrato fiel desta época, mais do que uma narrativa sobre uma sociedade. Desde os Hale, aos Thornton e aos Higgins, todos eles têm algo a demonstrar neste livro e todos eles são partes importantes desta narrativa, representando cada um deles um dos lados desta história, conquistando-nos com as suas razões e amores, fazendo-nos entender os seus interesses e ideais, prendendo-nos às suas palavras e acções.

Mais do que mais um clássico, mais do que mais uma história de amor, a obra de Mrs. Gaskell é algo que nos apanha e afunda nas suas subtilezas e profundidade, é uma obra que nos faz pensar e deleitar, um clássico que merece o estatuto que lhe é devido. Uma obra a traduzir para a nossa língua e que merecia ser lida por todos, North and South é uma obra-prima literária e um dos romances mais estonteantes que se pode ler. Uma leitura que aconselho a todos e que gostava que todos pudessem ler.

7*

4 comentários:

  1. nada a comentar sobre o que escreveste é um dos meus livros e séries preferidos :)

    quanto à tradução, daria um comentário mt longo e eu prefiro não maçar ninguém :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Muito Obrigada Madrigal =)

      Nunca maças ora essa, muito menos nesse tema ;) este devia ser um dos clássicos a traduzir pelas nossas editoras mas como já falámos, parece algo difícil, infelizmente...

      Eliminar
  2. Adoro a série!:) Mas, infelizmente não há tradução em português. Imperdoável mesmo! Se algum dia o quiser ler vou ter de me aventurar no inglês.

    Beijinhos*

    ResponderEliminar
  3. Adoro. É mesmo uma vergonha que não esteja traduzido para PT ainda!

    ResponderEliminar