sexta-feira, 31 de maio de 2013

Opinião - Sombras da Noite Branca

Título Original: Sombras da Noite Branca (#8 A Saga das Pedras Mágicas)
Autor: Sandra Carvalho
Editora: Editorial Presença
Número de Páginas: 560

Sinopse
 O momento de todas as decisões aproxima-se. Halvard, o Filho do Dragão, espera ansiosamente a chegada da Noite Branca para assimilar o Conhecimento Absoluto e tornar-se um deus na Terra. Quase todos os seus inimigos foram destruídos; apenas o rei Ivarr do povo viquingue, os Guardiães das Lágrimas do Sol e da Lua e os Sacerdotes dos Penhascos ainda resistem. Entretanto, a guerreira Kelda da Montanha Sagrada treinou com afinco sob a orientação do feiticeiro Sigarr e está pronta para se tornar mestra da Arte Obscura. Apesar de saber que a celebração desse ritual irá extinguir a luz da sua essência, ela persiste, pois acredita que só assim poderá deter o avanço sanguinário do irmão gémeo. Todavia, a revelação de que o seu destino é concretizar a profecia e não contrariá-la poderá abalar as suas convicções. Terá Kelda a determinação e a força necessárias para cumprir a missão que a Pedra do Tempo lhe atribuiu, enquanto chora a perda do amor do príncipe da Gente Bela? Ou, sobre o Altar do Mundo, cederá ela à tentação do poder e abrirá o seu coração às sombras da Noite Branca? Sombras da Noite Branca é o oitavo volume da série de culto Saga das Pedras Mágicas, que encerra mais um capítulo desta aventura fantástica e apaixonante.

Opinião


  Natural de Sesimbra, Sandra é filha de um pescador e de uma contadora de histórias nata e cresceu entre o mar e a Serra, entre o verde e o azul do mundo. Desde cedo, as histórias fazem parte do seu imaginário e ao longo da vida tem juntado contos, pedaços e retalhos de sonhos que acabariam por formar a sua primeira saga. Apesar de nunca ter pensado publicar o seu trabalho porque escrevia fantasia e não encontrava autores portugueses quando ia as livrarias, a verdade é que Sandra teve a sorte de ter alguém que acreditava mais nela que ela própria e graças ao seu marido, o sonho impossível tornou-se realidade.

  Em 2005, A Última Feiticeira, o primeiro volume da Saga das Pedras Mágicas chegou às nossas livrarias e este ciclo chega agora ao fim. Oito livros, três gerações e um grande carinho por parte dos fãs que como eu cresceram com esta saga ou que a conheceram em idade adulta ou mais tarde, são a materialização do talento de Sandra e da sua afirmação como um nome a apontar no que a fantasia nacional concerne. Sombras da Noite Branca é o último volume desta saga e promete resolver todas as questões e acabar a história da família de Aranwen em beleza.  

  Quando a esperança esmorece até se fenecer, quando quem amámos desiste de nós, quando o único apoio é o maior mal dos nossos, cabe-nos ser mais fortes, sobrevivermos, mostrar o que realmente valemos e finalmente trocarmos as voltas ao destino. Kelda está sozinha do lado errado da contenda mas só ela pode parar um mal sem igual, um poder que ninguém pode vencer, um homem que partilhou com ela o ventre e a olha com olhos iguais aos seus. Na derradeira demanda dos herdeiros de Aranwen a morte espalha-se em todos os caminhos, o caos tomou o mundo e a vitória perde-se nos gritos que padecem mas a coragem, essa ainda resiste, o amor é como uma armadura que não se desfaz e, no fim, a maior prova é o sacrifício. Por todos os que perdemos, por todos os que amámos, por todos os que hão-de vir porque o ódio e a loucura não combatem o que não conhecem.

  Ao longo de oito anos, o mundo de Sandra Carvalho tem vivido na minha imaginação e agora mais um ciclo, este, chega ao fim da maneira mais inesperada. Habituando-nos à sua escrita cuidada e floreada, a autora contou-nos a história de uma família, de três gerações que combateram o mal na sua demanda, que viram os mesmos erros e os mesmos tormentos repetirem-se, que por amor e lealdade, pela família, fizeram tudo ao seu alcance para alcançarem a paz. Num livro mais obscuro, mais poderoso, todas as questões levantadas ao longo da saga são agora resolvidas para que todas as pontas sejam atadas, não nos deixando qualquer dúvida. Sandra esmera-se neste último livro e mostra que o talento nacional também dá cartas na fantasia com a mesma qualidade que alguns autores estrangeiros.

  Desde o último livro que a linha ténue entre a luz e a escuridão se desfez, deixando-nos a braços com sentimentos e emoções muito mais complexas. Ao longo desta leitura, tudo se intensifica, cada momento se encaixa e se desenvolve de forma a chegar ao final, o final de uma aventura imensa que exige uma resolução total. Sofrendo até à última linha, este livro é um prazer e uma provação, é extasiante e esgotante, um misto de sensações que nos faz viver cada pedaço como se da nossa própria vida se tratasse. Um livro onde o sacrifício é necessário para expiar todos os males, onde o fim é um momento agridoce, este incita-nos a devorar cada uma das suas páginas e a desbravar todos os mistérios, a encontrar todas as respostas.

  Uma batalha épica onde as ligações familiares, o sangue e o amor têm um peso desmedido, esta é a derradeira das demandas e nela os amigos podem tornar-se inimigos, os inimigos podem revelar-se companheiros de todas as provações. Dando uma volta imensa à história que conhecemos, vários momentos surpreendentes dão um novo fôlego e complicam ainda mais as decisões finais mas no fim, um fim tortuoso mas feliz, há uma sensação de satisfação insatisfeita, um misto de sensações que só o final de uma saga querida pode deixar. Apesar de esperar mais, sei que só poderia terminar assim mas a leitora que cresceu com estas personagens queria algo ainda mais espectacular e perfeito mas nem aqui a perfeição existe e é aí que reside o seu encanto.

  As personagens desenvolvem-se de forma surpreendente, levando-nos a odiá-las como nunca pensamos ou finalmente a admitirmos a admiração que sempre sentimos por elas. Kelda mostra que é a protagonista certa para fechar este ciclo, e unindo nela o bom e o pior da sua família, ela joga com todas as cartas que tem e cada uma das mulheres a que está ligada deixaram uma marca ainda que ínfima nela. Halvard é para mim, o verdadeiro prazer desta história, o vilão que ultrapassa qualquer um dos outros e que nos faz odiá-lo até ao fim. Já Sigarr, a personagem da qual esperei a redenção desde o início finalmente mostra que sempre estive certa em relação a ele mas o seu fim deixou-me um sabor amargo na boca. 

  Quanto a surpresas, tendo vindo de personagens que já estava a espera, agradaram-me mas o fim de Oriana ficou-me entalado. Confesso que foi personagem pela qual nunca nutri simpatia e o perdão para ela é me impossível dar. As restantes personagens, como sempre encantaram-me mas senti a falta de uma presença mais assídua de algumas delas e os seus fins foram um pouco inconclusivos.

  Um final épico para uma saga com a qual cresci, Sombras da Noite Branca foi agridoce. Um último livro que satisfaz e ao mesmo tempo sabe a pouco, um livro que termina mas continua a deixar algo no ar, um final que deixa saudades. Ao menos pode-se sempre reler e regressar.

6*
 
As minhas opiniões da série

2 comentários:

  1. Ai confesso que não li o teu comentário por não querer apanhar nenhum spoiler, mas é uma saga que sempre gostei e acho a Sandra Carvalho uma pessoa mesmo muito simpática e com qualidade, pena mesmo aquele arranque de saga tão parecido com Seenwaters :(<

    Ainda me faltam ler os 3 ultmimos livros, tenho a Sacerdotisa dos Penhascos que segundo percebi abre uma nova fase dos livros e que a personagem Kelda, ganha protagonismo...há quem a considere a melhor personagem criada pela Sandra, logo só posso ficar satisfeito por ainda ter 3 bons livros pela frente, pois dizem ser os melhores e que tudo ficou bem encerrado.

    Penso que era tempo de terminar e se ficou bem encerrado fico contente :)

    Bjs

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mais uma vez consegui portar-me bem quanto aos spoilers mas refiro algumas personagens por isso lê só quando acabares ;) A Sandra é uma querida! Tive oportunidade de a conhecer no sábado e gostei muito dela =) É engraçado porque eu adoro aquele arranque em ambas as autoras mas a Sandra consegue sair completmente da influência de Sevenwaters ainda nesse primeiro livro =) God, já lá vão tantos anos!=O

      Não posso! Tens de ler, são livros fantásticos que mudam completamente a perspectiva da saga e a Kelda é uma herdeira à altura da avó =) É sem dúvida uma personagem especial que foge à cena da coitadinha.

      Este oitavo livro já não me caiu muito bem mas enfim acabou e acabou bem por isso posso estar satisfeita =)

      bjs

      Eliminar