sexta-feira, 5 de julho de 2013

Opinião - Shades of Earth

Título Original: Shades of Earth (#3 Across the Universe)
Autor: Beth Revis
Editora: Razorbill
Número de Páginas: 359

Sinopse
 Amy and Elder have finally left the oppressive walls of the spaceship" Godspeed" behind. They're ready to start life afresh--to build a home--on Centauri-Earth, the planet that Amy has traveled 25 trillion miles across the universe to experience.
But this new Earth isn't the paradise Amy had been hoping for. There are giant pterodactyl-like birds, purple flowers with mind-numbing toxins, and mysterious, unexplained ruins that hold more secrets than their stone walls first let on. The biggest secret of all? "Godspeed"'s former passengers aren't alone on this planet. And if they're going to stay, they'll have to fight.
Amy and Elder must race to discover who--or what--else is out there if they are to have any hope of saving their struggling colony and building a future together. They will have to look inward to the very core of what makes them human on this, their most harrowing journey yet. Because if the colony collapses? Then everything they have sacrificed--friends, family, life on Earth--will have been for nothing.
FUELED BY LIES.
RULED BY CHAOS.
ALMOST HOME.

Opinião

  Clássicos não são com ela e Shakespeare apenas entra na sua lista de leituras pelas piadas obscenas. O Young-Adult foi desde sempre o seu género de eleição, o género que procurava nas livrarias, o género no qual as suas histórias se enquadram. Formada em História e Literatura inglesa com especialização em fantasia, foi sobre a sua obra preferida do seu autor favorito de sempre, No Reino de Glome de C.S. Lewis, que fez a sua tese de mestrado.


  As suas histórias surgiram antes da faculdade mas foi durante esse período que os seus apontamentos que não o eram se tornaram em livros a sério. Quando o seu primeiro livro foi publicado em 2011, Beth teve de tomar a decisão mais difícil da sua vida, deixar a carreira de professora que adorava ou esquecer o sonho de escritora e Beth escolheu o sonho.


  Traduzido para vinte e quatro línguas e prestes a chegar a outros países, Across the Universe recebeu diversos prémios e foi bastante aclamado pela crítica nos EUA. Shades of Earth é o último volume da trilogia e foi publicado em Janeiro deste ano, sendo um dos finais mais esperados do ano. Já está traduzido na Alemanha e na República Checa.


  Aqui não existem paredes. Aqui o sol, os dois sóis, e a chuva são reais. Este é o novo mundo porque ansiaste, esta é a liberdade que desejaste, esta é a tua nova casa, a casa do teu coração. Mas este planeta esconde segredos sombrios, segredos que irão mudar a tua vida, revolucionar quem és e destruir tudo em que acreditaste. Novos desenvolvimentos vão colocar em causa decisões, atitudes e formas de pensamentos. Desafios vão quebrar convicções e cimentar sentimentos. Para ficarem, vão ter de lutar. Para sobreviverem, vão ter de ser capazes de tudo. Este é o mundo porque esperaram, o mundo que lhes pertence mas a verdade é que não estão sozinhos.


  Chegar ao fim é sempre difícil e, surpreender, é a tarefa mais difícil de todas mas Beth Revis é uma daquelas autoras cuja imaginação ultrapassa as linhas mais complexas e cujo mundo tão simples mas tão extraordinário consegue arrebatar-nos capítulo a capítulo, deixando-nos com o coração nas mãos, tremendo expectantes enquanto o fim se aproxima. Durante dois livros, esperámos pelo planeta porque Amy e Elder ansiavam e agora, finalmente vamos ficar a conhecer não só um novo planeta mas a verdade por trás dos segredos que se escondiam em Godspeed. Através de uma escrita fluída, forte e viciante, a autora prende-nos a cada passo, a cada revelação, não nos deixando respirar em paz enquanto todas as peças não se juntarem. Numa história cheia de adrenalina, pistas, diferenças e questões existenciais, Beth arrasa com um novo mundo onde as velhas questões da Humanidade se voltam a colocar, onde a lei da sobrevivência é igual aquela que conhecemos, onde as soluções pouco mudaram.


  Numa sociedade diferente daquela que encontrámos em Godspeed, voltamos a debater-nos com as hierarquias, as diferenças de comportamento e pensamento, a diferença das vontades e educações, a diferença entre os meios onde o ser humano se desenvolve. Num local completamente desconhecido é preciso haver uma união das partes, e aqui assistimos ao que acontece quando se junta um grande número de pessoas completamente discordantes. Num ambiente de caos, discordância e diferenças, a tripulação da nave e os ex-congelados vão entrar em conflito assim que chegam ao novo planeta muito devido ao grande fosso que existe entre eles e da necessidade de haver pessoas que trabalham e pessoas que mandam. O espírito cooperativo e de convívio nem sempre aparece nestas situações e é a lei do mais forte ou do que tem mais armas que reina. 


  É também levantada a questão da utilização de mão-de-obra humana drogada para fins financeiros de uma sociedade dita superior, ou seja, a realidade esclavagista mas numa situação planetária em que para os seres humanos fazerem o que lhes é mandado são drogados e sofrem grandes mutações genéticas para cumprirem o seu papel submisso e obediente. Ou seja, esta não é apenas uma história de monstros e aliens, é uma história sobre a profundidade e problemas da Humanidade, sobre a nossa forma de nos relacionarmos em situações de crises com pessoas diferentes, sobre o mundo capitalista em que vivemos e em que podemos viver.


  Num ambiente de mentiras e armadilhas, perigo constante e uma teia gigante de conspiração, vamos conhecendo um novo espaço, com fauna e flora completamente diferentes das nossas e como as emoções mais básicas se desenvolvem sobre grande pressão. Num enredo viciante e surpreendente, deparámo-nos com escolhas impensáveis, verdades nunca concebidas, uma luta entre a vida e a morte constantes. Até ao fim, vamos percebendo a complexidade da história que Beth criou e a forma fantástica como tudo evoluiu e se encaixa desde Across the Universe até aqui. A acção nunca para e o fim é das coisas mais estonteantes que já tive oportunidade de ler. Numa verdadeira reviravolta e demonstração de coragem e devoção sinceras, este fim vai quebrar corações, deixar cérebros derretidos e uma vontade enorme de devorar cada página como se fosse a última.


  Amy e Elder crescem ainda mais neste livro e mostram porque são dois protagonistas que se colocam a parte de outros do género. Do início ao fim, eles defendem as suas convicções, aprendem, sofrem e lutam enquanto crescem e deixam os seus sentimentos amadurecerem. Ambos vão surpreender até ao último momento. Quanto às restantes personagens, estão bem construídas, são verosímeis também nos dão muitos momentos de intensidade.


  Beth acaba a sua primeira trilogia em beleza, deixando fãs satisfeitos e, sem dúvida, desejosos de ver o seu próximo trabalho. Shades of Earth é um fim espectacular que demonstra bem o talento da sua criadora. Agora é esperar que alguma editora portuguesa se decida a trazer esta trilogia fantástica para a nossa língua.

6*
 
As minhas opiniões da série

2 comentários:

  1. Não estás arrependida agora de ter adiado o livro? :P xD

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Estouuuuuuuuu ;_; Mas pronto agorav já acabou ;_;

      Eliminar