quarta-feira, 23 de outubro de 2013

Opinião - Quando Tu Eras Meu

Título Original: When You Were Mine
Autor: Rebecca Serle
Editora: Planeta Manuscrito
Número de Páginas: 260

Sinopse
E se a maior história de amor de todos os tempos estivesse enganada?
Todos pensam que Romeu e Julieta foram impotentes face ao seu destino, que ficaram à mercê do amor que nutriam um pelo outro. Não é verdade. Julieta não era nenhuma rapariga doce e dilacerada pelo destino. Ela sabia exactamente o que fazia. O problema é que Shakespeare não. Romeu não pertencia a Julieta; pertencia-me a mim. Devíamos ficar juntos para sempre e teria sido assim se alguém não mo roubasse. Talvez isso pudesse ser evitado. E então talvez ainda estivesse vivo.


Opinião
  Rebecca adora escrever desde que começou a colocar palavras em folhas e esse amor levou-a através da escola até à USC. Actualmente vive em Nova Iorque, cidade que ama tanto quanto à escrita e sente-se uma sortuda por fazer o que gosta num sítio que adora mas o melhor do seu trabalho enquanto escritora é poder conviver com aqueles que lêem os seus livros.

  Quando Tu Eras Meu é o seu livro de estreia e reconta a história de Romeu e Julieta nos nossos tempos pelo ponto de vista de Rosalina, o primeiro amor de Romeu e prima de Julieta. Foi publicado o ano passado e está traduzido para quatro países. O seu próximo livro será publicado em 2014.

  Romeu e Julieta, a maior história de amor de todos os tempos é, também, a tragédia amorosa mais conhecida por todos e as suas personagens são todas relembradas pelos seus papéis neste drama. Não, todas não. Há uma que é sempre esquecida e que Rebecca Serle faz renascer neste livro. Rosalina, a razão pela qual Romeu foi ao baile onde se apaixonou por Julieta, é a narradora deste livro e é através das suas palavras que Rebecca reconta nos tempos modernos a história deste trágico casal e nos faz ver, pela primeira vez, o lado de Rosalina, a injustiçada, a esquecida.

  No início esta parece a típica história de adolescentes e da dinâmica de liceu mas desenganem-se porque conforme vamos entrando dentro deste livro vamos nos apercebendo que esta é uma história que tem muito mais para contar e que, em poucas páginas, nos vai fazer olhar para a obra de Shakespeare de uma forma muito diferente. Com uma escrita doce, sentimental e mais profunda do que pode parecer a um primeiro olhar, Rebecca construi um enredo simples e fluído mas que transborda emoções fortes, escolhas difíceis e as dores próprias do crescimento, da mudança e da perda. Com um ponto de vista totalmente diferente e original, a autora coloca estas duas famílias em guerra nos nossos tempos, duas famílias normais que podiam viver na casa do lado, com problemas actuais que todos nos reconhecemos, com mágoas e alegrias que podiam ser as nossas.

  Numa narrativa de rivalidades e vingança, de segredos e traições, compreendemos como a dinâmica familiar, os problemas entre pessoas do mesmo sangue, podem afectar uma criança de tal forma que acabam por moldar a personalidade delas de forma irreversível bem como a sua mente mas, também, percebemos como o amor e o apoio incondicional dos que nos criam nos pode fazer mais felizes, mais fortes, melhores de certo modo. Já no caso da amizade, vemos como se torna tão importante ao longo dos nossos primeiros anos de vida, como nos molda e protege ao longo da adolescência, como cria em nós não só uma carapaça como nos ensina que não faz mal ser frágil de vez em quando. E, claro, fala-nos do amor, desse sentimento que quebra, preenche, desfaz e nos torna maiores, em todas as suas vertentes. O amor do melhor amigo, o amor que cresce, o amor impulsivo, o amor egoísta, o amor altruísta. Todas as faces do amor são aqui expostas com uma realidade, um sentimento, que torna impossível não percebermos o bem e o mal que ele representa.
 
  Rosalina é uma protagonista que nos apaixona à primeira palavra. Madura para a sua idade, inteligente, leal, por vezes demasiado calada, ela vai ver o seu mundo virado do avesso mas em cada momento em que é testada, mostra que ter dezassete anos não significa que não somos capazes de aprender e aceitar, de passar à frente, de nos magoarmos e sorrirmos outra vez. Por ela, este livro vale logo a pena. Rob e Julieta, o casal destinado, são exactamente o que eu esperava e penso que a autora passou muito bem a imagem de como o destino, a impulsividade e a paixão tiveram muito a ver com esta união. As amigas de Rosalina são um primor e Len marcou-me bastante, não só pela sua personalidade mas pela forma como ele se vai dado a conhecer ao longo do livro.

  Uma estreia apaixonante, Quando Tu Eras Meu é uma fábula romântica dos nossos tempos que irá atingir os corações insatisfeitos e conquistar os que nunca se renderam a Romeu e Julieta. Rebecca Serle é um nome a recordar.

6*

2 comentários:

  1. Quando li a sinopse fiquei mesmo com muita vontade de ler este livro...não li a tua opinião só a parte final e estou a ver que tenho de adquiri-lo. :)

    Bj

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Marta!

      É um livro inesperado sem dúvida =) Podias ter lido, eu não costumo meter spoilers =p

      Beijinhos e boas leituras!

      Eliminar