terça-feira, 30 de abril de 2013

Aquisições *ABRIL*

  Num mês em que se comemorou o Dia Mundial do Livro *23 de Abril*, ocorreram vários acontecimentos que se reflectiram nos livros que me chegaram à estante. 

 - O  lançamento de um livro do qual a minha pessoa foi Beta Reader *Inverno de Sombras*;

-  A primeira parceria do Blogue *Leya*;

- A descoberta de uma nova série que vai provocar o caos até a terminar *Caçadores de Sombras*.

  Por isso já não foi um mês tão mau quanto poderia ter sido. Para casa vieram livros que eu queria assim muito, o que é sempre bom e em termos de leituras, apesar de terem sido menos do que as dos meses anteriores, até correram bastante bem. Um mês de mudanças, nem todas más e que vai anteceder o melhor mês do ano para qualquer leitor. Pois é, a Feira do Livro vem aí e as novidades de Maio são de ler e chorar por mais mas por agora fiquemos pelos meus novos bebés *.*


 
*Caçadores de Sombras*
A Cidade dos Ossos, Cassandra Clare *Opinião*
A Cidade das Cinzas, Cassandra Clare  


Iniciativa Leya do Dia do Livro
Doutor Fausto, Thomas Mann
Nómada, Stephenie Meyer
  

Inverno de Sombras, Liliana Lavado *Opinião*
 

Amor & Enganos, Julia Quinn *Opinião* (oferta Leya)
Maligna, Joanne Harris
Promessas de Amor, Sherry Thomas *Opinião*
 

Corações Gelados, Laurie Halse Anderson (oferta Leya)

segunda-feira, 29 de abril de 2013

A Ficção Especulativa tem uma Nova Casa - Editorial Divergência




Fundada a 15 de Abril de 2013, a Editorial Divergência é uma editora portuguesa centrada na ficção especulativa. Aposta em exclusivo no mercado e escritores nacionais, promovendo uma relação de honestidade e confiança com os autores. Pretende criar edições acessíveis e de qualidade, com regularidade e sem acordo ortográfico.



Constituída por uma equipa jovem e dinâmica, a Editorial Divergência aposta na ficção portuguesa para colmatar a falta de oferta no mercado nacional. O custo de publicação ficará inteiramente ao cargo da editora, sendo o autor compensado em 10% do preço de capa. Esta iniciativa é uma excelente rampa de lançamento para autores emergentes deste género literário.



Os interessados poderam enviar os seus manuscritos para o email da editora e segundo as condições que se encontram no site desta

 


A página do Facebook:



Resta-me louvar a iniciativa da equipa e desejar o maior sucesso a uma editora que aposta  não só no nacional como em géneros que necessitam de uma maior visibilidade no nosso país

Tentações: Ligeiramente Casados [ASA]

No ínicio era uma obrigação...
Depois, tornou-se uma tentação...

 Título: Ligeiramente Casados
Título Original:Slightly Married
Autor: Mary Balogh
Editora: ASA
Número de Páginas: 336
Preço: €15.90
ISBN: 9789892322254


*Mary Balogh*
 Autora premiada e presença constante nas listas de bestsellers do New York Times, Mary Balogh cresceu em Gales, terra de mar e montanhas, músicas e lendas. Ela levou consigo a música e uma imaginação vívida quando se mudou para o Canadá. Aí desenvolveu uma segunda carreira como autora de livros com finais felizes e que celebram o poder do amor. Os seus romances históricos venderam já mais de 4 milhões de exemplares em todo o mundo.*


Ligeiramente Casados
Sinopse:Como todos os Bedwyn, Aidan tem a reputação de ser arrogante. Mas este nobre orgulhoso tem também um coração leal e apaixonado - e é a sua lealdade que o leva a Ringwood Manor, onde pretende honrar o último pedido de um colega de armas. Aidan prometeu confortar e proteger a irmã do soldado falecido, mas nunca pensou deparar com uma mulher como Eve Morris. Ela é teimosa e ferozmente independente e não quer a sua proteção. O que, inesperadamente, desperta nele sentimentos há muito reprimidos. A sua oportunidade de os pôr em prática surge quando um parente cruel ameaça expulsar Eve de sua própria casa. Aidan faz-lhe então uma proposta irrecusável: o casamento, que é a única hipótese de salvar o lar da família. A jovem concorda com o plano. E agora, enquanto toda a alta sociedade londrina observa a nova Lady Aidan Bedwyn, o inesperado acontece: com um toque mais ousado, um abraço mais escaldante, uma troca de olhares mais intensa, o "casamento de conveniência" de Aidan e Eve está prestes a transformar-se em algo ligeiramente diferente... 
Podem encontrá-lo aqui 
*informação retirado do site wook 

domingo, 28 de abril de 2013

Opinião - Irmãs de Verão

Título Original: Summer Sisters
Autor: Judy Blume
Editora: Edições ASA
Número de Páginas: 352

Sinopse
 Vix Leonard tem doze anos quando conhece a estonteante e temerária Caitlin Somers. À medida que os dias de aventuras ousadas dão lugar a noites de descobertas tímidas, Vix e Caitlin aproximam-se ainda mais, graças às dificuldades do processo de crescimento, ao refúgio na sensação de pertencerem a alguém e ao pacto de Nunca Serem Vulgares… Até ao verão arrasador em que um rapaz da terra altera tudo.
Anos mais tarde, a vida separa-as, mas a marca da amizade que as uniu mantém-se. Quando Caitlin pede a Vix que regresse a Martha’s Vineyard para o seu casamento, Vix sabe que não se recusará a ir. Quer compreender o que aconteceu nesse verão em que tudo foi destruído… e porque é que a sua melhor amiga ainda tem o poder de lhe partir o coração.

Opinião

  Nasceu em Nova Jérsia em 1938, filha de um dentista e de uma dona de casa. Foi para Nova Iorque, onde acabou o curso em 1961 para ser professora primária e se casou com um advogado com quem teve dois filhos e do qual se divorciou no final dos anos 80. Judy casou em segundas núpcias com um professor com quem se mudou para a Flórida onde ainda vive. A sua carreira enquanto escritora começou como uma necessidade de preencher o vazio que a vida de mãe e dona de casa não preenchia. Inscreveu-se num curso de Escrita Criativa e depois de vários contos publicados em revistas, em 1970, conseguiu publicar o seu primeiro livro.


  Autora de livros para crianças e adolescentes, Judy Blume é conhecida pelas suas obras polémicas que abordam não só o início da sexualidade como o bullying ou o racismo. Devido a forma natural e espontânea com que lida com estes temas tabu, Judy foi censurada diversas vezes, o que a levou a juntar-se a Coligação Nacional Contra A Censura Norte-Americana. A verdade é que a autora já escreveu mais de 30 livros, vendeu mais de 80 milhões de cópias e já foi traduzida para mais de trinta países.

Irmãs de Verão, publicado em 1998, é um dos seus três livros para adultos e já foi traduzido para mais de 35 línguas. É o segundo livro da autora publicado em Portugal e o único para adultos.


  Imaginem um Verão. Imaginem um local paradisíaco para onde pudemos fugir e libertar-nos. Imaginem um local onde somos tão felizes, selvagens e apenas nós. Elas encontraram-no. Unidas por um local, por uma estação, por amores, elas são mais que melhores amigas, elas são irmãs de Verão. Juntas vão descobrir-se, apoiar-se, viver cada dia para o puderem recordar até regressarem. Vix e Caitlin vão crescer unidas pelo sol, pelos primeiros amores, pelos sonhos, até ao último Verão, até a separação, até que um rapaz muda tudo. Anos depois elas têm questões por resolver, segredos por revelar, mentiras para esclarecer. Mas o que as une é ainda tão quente quanto o sol que as uniu.


  Tive a sorte de ter lido Judy na altura dos meus catorze anos. Agora depois dos vinte, posso relembrar a sua escrita, olhar com outros olhos para as suas histórias, recordar o que senti e descobrir novas sensações. Esta autora, infelizmente, tão pouco lida por cá, marca-nos de uma maneira que só os que compreendem o tumulto, a loucura, a ansiedade da adolescência podem marcar. Ao ler um livro seu, sabemos que somos compreendidos e ouvidos, sabemos que alguém passou pelos mesmos momentos, felizes ou não. E isso é importante, e é talvez, a razão do seu enorme sucesso. Ela escreve com a verdade, com a sinceridade das sensações, dos momentos, com a tempestuosidade da felicidade eterna e mostra-nos como ela pode serenar, mudar, ensinar. Não esconde, não finge, não suaviza. A sua escrita é crua e verdadeira, é humana e enternecedora, e é por isso que é impossível esquecer o que ela nos conta.


  Durante vinte anos conhecemos duas jovens que crescem frente aos nossos olhos. Vemo-las apaixonarem-se, zangarem-se, sofrerem. Guardámos os seus medos e receios. Sorrimos pelas vitórias. A história delas e dos que as rodeiam torna-se a nossa história, torna-se algo pessoal pois com elas vemos o verdadeiro fulgor da amizade, o sentido mais puro da palavra, a crueza da sensação de gostarmos tanto de alguém como se fosse a nossa outra parte. Esta é a lição que tirarão deste livro. Que a Amizade quando real vale e vence tudo, ultrapassa todos os obstáculos, significa dar e receber e fazer escolhas difíceis.


  Esta história irradia através das páginas uma sensação de calor eterno mesmo nos momentos mais duros que nos prende às recordações de Verões passados, que nos leva com as personagens a recordar e a sorrir com nostalgia. Ao criar uma narrativa que se vai separando desses Verões ao mesmo tempo que os agarra, a autora nunca nos deixa esquecer, leva-nos a compreender escolhas, a revoltar-nos com as encruzilhadas do destino. Porque esta é uma história onde o destino escreve mesmo por linhas tortas, que nos mostra que estar destinado está relacionado com quem somos, com as nossas decisões, com o destino de quem nos rodeia. Não é uma narrativa de fatalidades, é sim, uma que nos permite pensar “E se?” e perceber que temos de seguir em frente porque façamos o que fizermos cada um escreve a sua vida à sua maneira e que isso pode mudar a vida dos que nos rodeiam.


  Com personagens reais, adultos que amadurecem, crianças que crescem até se tornarem adultos, este livro é sobre a vida e as relações e cada uma destas personagens nunca nos deixa, seja por interferência da autora, seja pela interferência da madrasta de Caitlin. Temos aqui um elenco vasto de pessoas, os amigos e companheiros de infância, os amigos da universidade e das aventuras, os namorados, maridos, pais e irmãos, temos aqui a história de toda uma geração e com cada um deles aprendemos algo, saboreámos momentos, desejámos voltar para trás ou ansiámos pelo futuro. Caitlin e Vix são completamente diferentes. Uma é louca, outra racional mas não deixaram de partilhar, não deixaram de se adorar e por isso temos de as louvar.


  Uma autora que espero que visite mais vezes as prateleiras das nossas livrarias, Judy é alguém que escreve verdadeiros tesouros, uma autora que qualquer pessoa, em todas as idades devia ler uma vez na vida. E, Irmãs de Verão é aquele livro que oferecemos à melhor amiga, ao primeiro amor, a quem esteve connosco em todos os momentos. É aquele livro que trará memórias e um olhar perdido no passado. É o livro que guardámos para as ocasiões em que as saudades e a vida apertam.
6*
 

Podem encontrá-lo aqui