quarta-feira, 31 de dezembro de 2014

Bom Ano Novo!

Entrem com o pé direito em 2015. 
Ao lado de quem mais gostam.
Com um fogo de artíficio espectacular num lugar deslumbrante.
Não se esqueçam dos doze desejos, com passas ou sem elas.
Mas principalmente... Comecem já a pensar nos novos livrinhos que aí vêem.
Na próxima Feira do Livro.
Nas próximas adaptações cinematográficas.
Leiam e sejam felizes. Sonhem.


UM FELIZ 2015!

terça-feira, 30 de dezembro de 2014

As Alegrias de 2014

  Num ano em que tanta coisa mudou nos meus hábitos de leitura, não será de espantar que até este post apresente ligeiras diferenças dos posts anteriores, a começar por 2014 não ter um Top 10. 

  Não, não estou a brincar.

  Depois de reflectir no fantástico, surpreendente e maravilhoso ano que tive em leituras, depois de olhar para a lista dos livros a que dei 5*, todos eles marcantes e adorados, achei por bem apresentar a maior parte deles. Para isso, separei-os em categorias, à maneira dos Óscares e afins. 

  Chamem-lhe batota, mas 2014 não foi um ano de 10 livros e já está. Nem pensar. Foi o ano de terminar séries da melhor maneira possível. Foi o ano de começar séries que me enchem de expectativas. Foi o ano das sequelas arrasadoras. 2014 foi cheio de surpresas, de excelentes autores e séries. E, por isso, tinha de referir todos estes livros que o tornaram ainda mais especial.


Os  Stand-Alones (que por acaso também são Retellings) que eu queria que tivessem continuação mas que acho que são perfeitos assim

A recordar as Crónicas Lunares de Marissa Meyer, este retelling de A Branca de Neve que, pelo meio encontrou Star Wars, foi uma das grandes surpresas deste ano. É tão absolutamente delicioso que só me apetece obrigar-vos a todos a lê-lo.

Retelling de O Quebra-Nozes, este livro é das coisas mais bonitas, complexas e brilhantes que eu já li. Basta dizer que o prefiro ao conto original. E que me faz lembrar chocolate preto.


O Romance Histórico que me pôs a ver coraçõezinhos pirosos no ar

Querem romance à séria? Então façam um favor a vocês próprios e leiam este livro que é coisa mais romântica à face da Terra.


A Ficção Histórica que me lembrou porque adoro História

Uma autora que mete a Philippa Gregory a um canto + Rainhas esquecidas = Música para os meus olhos. Sim, eu sei que não soa bem mas este livro deixa-me meio perdida das ideias de tão bom que é.

A obra-prima da melhor autora da ficção histórica medieval. Está dito.

Tão divinal que ainda me arrepio quando penso nele. Sem dúvida uma autora obrigatória neste género.


Os Primeiros Volumes cheios de promessas e que me enchem de expectativas

Fantasia a virar para o conto de fadas. Lindo, lindo, lindo.

Esqueçam o Romeu e Julieta e deliciem-se com uma das melhores escritas que já vi na minha vida.

Uma fantasia inspirada na Roma e Grécia antigas, este livro é muito mais que uma capa bonita. O interior abafa completamente aquela que é a capa mais bonita de 2014.

Divertido, original e um dos melhores beijos do YA.

Steampunk. Zombies. Época Vitoriana. Protagonistas inspirados na Anastasia e no Dimitri = PERFEIÇÃO


As Sequelas que impossivelmente foram melhores ainda do que pensava

Opinião
Se Angelfall foi um início promissor, World After foi explosivo. Sem dúvida, uma das melhores distopias que já li.

 Opinião
Libba Bray é uma autora genial e esta sequela comprova-o com ainda mais mistério, negritude e complexidade que Uma Grandiosa e Terrível Beleza.


 Opinião
A lembrar os X-Men, Unravel Me não é só o melhor livro desta trilogia como uma das sequelas mais fantásticas que já li.


Opinião
Porque melhor que o primeiro volume de Outlander, só mesmo o segundo. 


Opinião
Se pensavam que Paullina Simons já nos tinha feito sofrer que chegasse, então estão enganados. A sequela de O Grande Amor da Minha Vida é capaz de arrasar com qualquer coração.

Os  Finais que me fizeram chorar e querer voltar atrás para ler tudo outra vez

 Opinião
Terminar um livro de Juliet Marillier é sempre garantia de um final feliz, aconteça o que acontecer.

 Opinião
Uma trilogia que nos faz reviver a Ilíada e que terminou de forma perfeita com este livro.


Opinião
Um final controverso que abalou os seus leitores.

Opinião
Um final cheio de lágrimas e sorrisos que terminou na perfeição uma trilogia inesquecível.

Opinião
Quando pensámos que por sabermos como tudo acaba que nada nos poderá surpreender, Juliet Grey acaba por nos mostrar exactamente o contrário.


Opinião
Outro grande final de Cassandra Clare, onde não faltaram lágrimas e sorrisos, e que deixa uma saudade insana.


A Série que ainda vai a meio mas que continua a conquistar-me
O livro que não teve 5* mas que tem a melhor protagonista de todas as eras e séculos

Opinião
Caelena é a melhor protagonista de todos os tempos. Quero ser como ela quando for grande!

As Desgraças de 2014

  Parece que ainda foi ontem que estava a lançar pragas e curiscos há alguns livros de 2013... E agora já o estou a fazer a outros livros, noutro ano, e felizmente com menos entusiasmo, já que ganhei poucos ódios de estimação este ano. 

 Sim pasmem, porque este ano só dei 1* a dois livros. Dois. Isto é uma grande evolução dos sete habituais! E também diminui o número de livros não terminados, já que só um teve esse azar. Contudo, houve oito livros que tiveram 2*, alguns deles grandes, grandes desilusões,  e os quais tenho de referir por me terem marcado de forma mais negativa. Mas, bem vistas as coisas, é um balanço positivo para os outros anos e espero que isso signifique que estou a tornar-me mais selectiva com as minhas leituras e que tenho sabido escolhê-las. Bem, também tenho sido bem aconselhada, há que referir...

  Espero que 2015 me poupe aos traumas como este estranho 2014, que teve tantas mudanças.

Apresento-vos então os azarados de 2014:


As Desgraças das Desgrças

Que desilusão tão grande. Apesar da autora ter uma escrita bonita, isso não bastou para salvar uma história sem pés nem cabeça.


A melhor descrição que posso fazer deste livro é que ele é tão vazio quanto o infinito... Basicamente, não se passa nada.


O que não foi acabado

Estava a ser tão confuso que depois de ter perdido quatro dias tive de desistir.


O Pior Final de Sempre

Como destruir uma trilogia fantasticamente boa com um único livro, é a lição que Lauren Oliver nos quer dar com este... esta coisa.



A Pior Sequela

Há uma dor dentro de mim de cada vez que penso neste livro... Ainda estou para perceber como é que foi possível a Jennifer se ter espalhado ao comprido.


A Pior Personagem

Apresento-vos Tiny Cooper, a personagem mais egoísta, irritante e egocêntrica que poderão conhecer.

Os Livros de 2014 em Números

  Como vem sendo hábito, aqui estou eu para vos dar o balanço númerico do meu ano em leituras. Em 2014 houve algumas mudanças que se tornam notórias nestes números, mudanças essas que espero que continuem para o ano.


120 Livros Lidos
Menos 25 livros que o ano passado. O tempo passou a ser menos para as leituras mas, este ano foram tão boas, que não as trocava por mais 25 livros.


37, 384 Páginas Viradas


Demorei em média 3 dias a a ler cada livro
O mesmo que o ano passado.


A Classificação do Goodreads ficou nos 3,6 
 Mas faltam as cotações de 3 livros 


Faltaram escrever as opiniões de A Princesa Branca, Separação e Tentação Perfeita
Faltou-me o tempo e a inspiração


A Libélula Presa no Âmbar foi o livro mais longo que li
Com 1 004 páginas, tem mais 83 que o maior livro que li em 2013


86 autores estrangeiros, 7 nacionais
Diminuição dos estrangeiros causada possivelmente por ter repetido muito os autores este ano. Mas boa, aumentei os nacionais! Mesmo assim, melhor para 2015, espero...


Li 54 novos autores
Mais uma vez, a culpa foi da repetição de autores.


Os autores mais lidos foram Lauren Oliver com seis livros, seguida de Cassandra Clare, Caragh M. O'Brien e Tahereh Mafi com 5 livros e depois Jennifer L. Armentrout com 4 livros


Romance Histórico foi o género mais lido com 44 livros, seguido pela Distopia com 26 livros e pela Fantasia Épica com 17
Estou a ver aqui (outra vez) um consenso...


Thriller e Clássicos foram os géneros menos lidos com 1 livro cada


Li 62 livros YA, 50 livros adultos, 3 livros new adult e um livro middle-grade


A Editora nacional mais lida foi a Planeta Manuscrito com 17 livros, seguida da ASA com 15
Uma grande descida comparado com o ano passado em que li 29 e 21 respectivamente. Mas continuam a ser as mesmas.


A Editora estrangeira mais lida foi a Harper Collins com 11 livros
Esta categoria nem estava aqui o ano passado... Surpresa!!


Li 60 séries
Só menos 4 que o ano passado... Medo!


Terminei 13 séries
Mais cinco que o ano passado e só me apetece chorar...


Comecei 33 novas séries das quais acabei 3 e pretendo continuar 25
Mais uma vez... Medo


Li 101 livros em inglês
Oh meu Deus. Aqui está a grande mudança nos números deste ano... De 22 livros em inglês em 2013 para este número tão grande e bonito!


Li 46 ebooks
O dobro de 2013... 


Li 17 short-stories


Terminei (obrigada) uma webcomic 


A maior parte dos autores que li começavam com a letra J, C e L


O mês em que li mais foi Fevereiro (14) e o que li menos foi Abril (5)

Aquisições&Leituras *Dezembro*

  E chegámos ao fim de mais um ano! E como ele passou depressa, não acham?

  Dezembro, este último mês, para mim é sempre uma dor de cabeça. Gosto de terminar o ano com tudo feito nas calmas, mas sei que a partir do Natal nunca consigo fazer nada de jeito, o que este ano se notou já que vou acabar o ano com três opiniões por fazer, algo que me deixa irritada. Aliás, este mês é horrível porque nunca leio nada de jeito, e isso resulta em poucas opiniões... Mas enfim, olhando para as Alegrias de 2014 em que brevemente colocarão os olhos em cima, isso quase que se torna irrelevante. Preparem as vossas wishlists, aviso já.

  Mas pronto, a coisa boa deste mês é o Natal, em que estou com a família três dias (a minha avó faz anos dia 26) a comer, rir, cozinhar, desembrulhar presentes, ver filmes desta época do ano... Essas coisas que são sempre as mesmas e sabem sempre bem e que me fazem lembrar que não detesto assim tanto esta altura do ano. E, claro, para mim há sempre livrinhos dentro do sapatinho! Recebi quatro! Yeaaah! Dois deles não constam no post das prendas de Natal porque a minha avó só mo deu uns dias depois e o meu tio preferiu dar-me o dinheiro já que não consegue decorar os livros que eu tenho... E depois claro que nem neste mês me consigo conter e lá comprei os últimos livrinhos deste ano, que são lindos, como sempre. Mas poucos, este mês portei-me bem.



Aquisições

Stitching Snow, R.C. Lewis ~ Opinião
Defy, Sara B. Larson ~ Opinião
Princess of Thorns, Stacey Jay
Um dos favoritos do mês passado e do ano, o debut de R.C. Lewis era obrigatório na minha estante. Eu precisava dele como preciso de ar! Quanto ao Defy, foi uma das primeiras leituras do ano e, apesar de ter sido mediano, o lançamento em breve da sua sequela deu-me vontade de voltar a este mundo e ele lá veio para casa como desculpa para ler o irmão Ignite... E bolas, ele é lindo tá? Fica muito bem na estante! E, finalmente, vou-me estrear com Stacey Jay! Tinha tantas expectativas para este livro...


A 5ª Vaga, Rick Yancey
Belzhar, Meg Wolitzer
Estes ainda se podem considerar prendas de anos já que gastei na sua compra o vale de €5 que recebi da Bertrand. São livros que me suscitam muita curiosidade, principalmente o primeiro do qual só ouço maravilhas.



Quando Éramos Mentirosos, E. Lockhart
Sonhos Proibidos, Lesley Pearse ~ Opinião
Ligeiramente Escandalosa, Mary Balogh
E porque chegaram mais tarde, estas prendas de natal estão aqui e não no outro post. Falo do livro da Lockhart que foi prenda de anos do tio e que, finalmente, consegui arranjar! Estou desejosa de o ler. O Sonhos Proibidos já li mas foi emprestado e foi prenda de natal da avó. Só me falta o último para ter a trilogia completa. Já o livro da Mary Balogh também foi oferta de uma amiga. Obrigada querida!

E aqui podem ver as minhas outras prendas de Natal!




Swag

E não há nada como acabar o mês a receber material autografado de uma das minhas novas autoras preferidas *.*



O Melhor do Mês
Temos aqui um grave problema já que dei 5* a três livros este mês... mas como é Natal, aqui estão eles! Ah, e não houve nenhum pior.




As outras Opiniões...

A Prova do Ferro, Cassandra Clare&Holly Black
Um livro que alegra a menina que leu Harry Potter há demasiado tempo... Mas que ainda coloca a adulta com um pé atrás. Vale o final surpreendente que poderá mudar o rumo das coisas.

Um livro simples mas absolutamente adorável que fará as delícias de qualquer leitor.



E...

Momento Harry Potter da Semana #51

Operação Livros no Sapatinho: Um livro, uma personagem fícticia; Prendas de Natal



Desafios Terminados New Author Challenge, Queen's Challenge, Dystopia Reading Challenge, Historic Fiction Reading Challenge

Desafio Não Terminado 12 Clássicos em 2014




Primeiras Opiniões de 2015




segunda-feira, 29 de dezembro de 2014

Dystopia Reading Challenge 2014 - TERMINADO



  Este desafio foi proposto pela Ula do Blog of Erised e consistia em ler um certo número de distopias para atingirmos determinados níveis. Eu tinha-me proposto a ler 13 a 18 livros para atingir o Nível Revolutionist, o qual consegui com 16 livros lidos.



  Pelo segundo ano consecutivo participei neste desafio, e apesar de ter ficado cinco livros atrás do conseguido em 2013 (21 livros) acabou por ser, mais uma vez, um bom ano, já que terminei séries e descobri novas autoras fantásticas. Contudo, se se realizar em 2015 não irei participar novamente já que ao fim de dois anos fiquei um pouco saturada do género.




1. Delirium, Lauren Oliver
2. Angelfall, Susan Ee
3. Pandemonium, Lauren Oliver
4. Legend, Marie Lu 
5. World After, Susan Ee
6. Requiem, Lauren Oliver
7. Birthmarked, Caragh M. O'Brien
8. Convergente, Veronica Roth
9. Prized, Caragh M. O'Brien
10. Promised, Caragh M. O'Brien
11. A Revelação, Lissa Price
12. Shatter Me, Tahereh Mafi
13. Unravel Me, Tahereh Mafi
14. Ignite Me, Tahereh Mafi
15. A Long Long Sleep, Anna Sheehan
16. Stitching Snow, R.C. Lewis
17. Separação, Lauren DeStefano



  Dos 17 livros lidos, li apenas 4 em português, e os restantes treze em inglês. Das nove séries que li/comecei em 2013 e queria continuar a ler, apenas terminei três (Divergente, Destinos Interrompidos e O Jardim Químico). Mas, em compensação, das cinco que comecei em 2014 acabei três (Delirium, Birthmarked e Shatter Me). Penso continuar as trilogias de Angelfall e Legend no próximo ano.

Queen's Challenge 2014 - TERMINADO


Pelo segundo ano consecutivo organizei este desafio e mais uma vez consegui atingi-lo ao ler os quatro livros a que me tinha proposto:

1. The Forbidden Queen, Anne O'Brien - Katherine Valois
3. The Summer Queen, Elizabeth Chadwick - Leonor da Aquitânia
4. A Princesa Branca, Philippa Gregory - Elizabeth York

2014 Historic Fiction Reading Challenge - TERMINADO



Este desafio foi proposto pelo blogue Ramblings of a Daydreamer e consistia em ler um certo número de livros em qualquer género que tivesse Ficção Histórica para atingirmos determinados níveis. Eu tinha-me proposto a ler 13 a 20 livros para atingir o Nível Traveling back in Time. Acabei por superar em muito o meu objectivo já que li 45 livros, atingindo assim o nível Living in the Past.


29. The Summer Queen, Elizabeth Chadwick
41. À Beira do Lago Encantado, Barbara Cartland
42. Jackaby, William Ritter
43. Confissões de Maria Antonieta, Juliet Grey
44. A Princesa Branca, Philippa Gregory
45.  Tentação Perfeita, Lisa Kleypas


Dos 45 livros lidos:
  •  onze são em inglês;
  •  vinte são romance de época;
  •  dois são retellings;
  • onze têm elementos paranormais/fantásticos;
  • nove são YA;
  • quinze têm como protagonista e/ou como personagens secundárias, figuras históricas;
  • quatro são finais de séries;
  • dez são inícios de séries.

sexta-feira, 26 de dezembro de 2014

2015 Mythology Reading Challenge


  E o último desafio para o ano que vem tem, definitivamente, a minha cara.

  Organizado pelo Lili Lost in a Book, este desafio consiste em ler livros que tenham como tema predominante a mitologia, seja ela grega, egípcia, nórdica, ou a que for.

  Eu vou propôr-me a atingir o nível:

God Level
6 - 10 livros


Quem se quiser inscrever pode fazê-lo aqui

quinta-feira, 25 de dezembro de 2014

(Fairytale) Retelling Reading Challenge 2015


2015 está a chegar e com ele novos desafios que estou desejosa de realizar... Entre eles, este!

Organizado pelo The Daily Prophecy, este desafio consiste em ler livros que sejam retellings de contos de fadas. 

Dos seis níveis propostos, vou desafiar-me ao:

Magic Mirror
5-9 livros


Para já, penso ler estes livros pois já os tenho:
- Alice in Zombieland, Gena Showalter
- Scarlet, A. C. Gaughen
- The Wild Girl, Kate Forsyth
- Cruel Beauty, Rosamund Hodge



Podem inscrever-se e ver as regras aqui

Operação Livros no Sapatinho: As Minhas Prendas de Natal

  Este ano recebi poucos mas bons livros!

  Quer dizer, o meu tio deu-me dinheiro para comprar um e a minha mãe deu-me um cartão  prenda da FNAC por isso vão haver mais... Mas para já, estas são as minhas prendas literárias:


Prenda das minhas queridas p7 e Elphaba! Muito obrigada, vocês são as maiores! Finalmente, o Grave Mercy aka Freiras Assassinas na Idade Média, chegou cá a casa. E muito bem acompanhado.


E a prenda da tia mais nova, que este ano merece um grande abraço e muitos beijinhos porque, além da minha vampirinha brilhar no escuro, tenho aquele monstro de antologia finalmente em casa! E claro, estou anisosa para ler o Atlantia. 

quarta-feira, 24 de dezembro de 2014

Um Feliz Natal!

Votos de um Feliz Natal, na companhia da família e de quem amam. Que não faltem os doces e gulodices e que as prendas ao serem desembrulhadas revelem muitos, muitos livros!



terça-feira, 23 de dezembro de 2014

Opinião - A Cidade do Fogo Celestial

Título Original: City of Heavenly Fire (#6 Caçadores de Sombras)
Autor: Cassandra Clare
Editora: Planeta Manuscrito
Número de Páginas: 576


Sinopse
Na deslumbrante e muito esperada conclusão da série Caçadores de Sombras, Clary e os amigos enfrentam a mais terrível expressão do Mal que alguma vez tiveram de combater: o irmão de Clary. Sebastian Morgenstern está ao ataque e volta Caçador de Sombras contra Caçador de Sombras. Com a ajuda da Taça Infernal, transforma Nefelins em criaturas saídas de um pesadelo, separando famílias e amantes enquanto engrossa as fileiras dos seus Ensombrados. 
Acossados, os Caçadores de Sombras refugiam-se em Idris… mas nem os poderes demoníacos de Alicante conseguem manter Sebastian à distância. E com os Nefelins encurralados em Idris, quem protegerá o mundo contra os demónios? Quando é desmascarada uma das maiores traições de toda a história dos Caçadores de Sombras, Clary, Jace, Isabelle, Simon e Alec são obrigados a fugir – ainda que a sua viagem os leve até ao coração dos reinos demoníacos, onde nunca nenhum Caçador de Sombras fora e de onde nenhum ser humano alguma vez regressara. Haverá amor sacrificado e vidas perdidas na terrível batalha pelo futuro do mundo neste empolgante final da clássica série de fantasia urbana Caçadores de Sombras. 


Biografia
  Judith Rumelt passou a vida a ler. Estivesse onde estivesse, os livros, carradas deles, andavam sempre atrás de si. E, um dia, começou a escrever histórias alternativas sobre as suas personagens preferidas só que, quando deu conta, estava a escrever artigos cor-de-rosa em vez de verdadeiras histórias e a frustração quase a venceu, até que tatuagens e Nova Iorque lhe deram uma ideia. A ideia tornou-se numa história e em 2006 nasceu Caçadores de Sombras e, Judith renasceu para o mundo como Cassandra Clare, hoje uma das mais aclamadas escritoras no mundo.

  Para além dessa série, já publicou também no mesmo mundo, As Origens, e está a planear mais três. The Dark Artifices, que sairá para o ano e se passará depois dos acontecimentos de Caçadores de Sombras, The Last Hours que será publicado em 2017, e terá como protagonistas a geração a seguir a de As Origens, e The Wicked Powers. Para além disso, já está disponível o Shadowhunters’ Codex e The Bane Chronicles. Também publicou este ano um livro com Holly Black, A Prova do Ferro. E a Cidade dos Ossos será novamente adaptado mas desta vez para televisão.

  A Cidade do Fogo Celestial é o tão aguardado final de Caçadores de Sombras. Publicado em Maio deste ano, está traduzido para treze línguas e venceu o Goodreads Choice Awards 2014 na categoria de YA Fantasy.


Opinião
  Despedir-nos de uma série preferida nunca é fácil, mesmo quando o adeus não é derradeiro. Em vinte meses, Cassandra Clare tornou-se uma das minhas autoras de eleição. Fez-me rir, fez-me chorar. Torturou-me e surpreendeu-me. Basicamente, tentou mata-me do coração tantas vezes que descobri que tenho um lado masoquista já que isso só me fez adorá-la ainda mais. Mas mais importante que isso: deu-me a família fictícia que eu não sabia precisar. E por tudo isto e muito mais, A Cidade do Fogo Celestial era um dos finais mais temidos e ansiados deste ano e, quase inexplicavelmente, mesmo assim, conseguiu superar as minhas expectativas. Arrasador, extraordinário, bombástico. Assim se podia classificar este final no qual Cassandra Clare dá-nos um final feliz a que não faltam espinhos, um final que até à última página nos deixa em suspenso entre os sorrisos e as lágrimas. Um final que fecha um ciclo de que sentirei saudades. E abre um novo cheio de expectativas.

  Num mundo destruído, amigos, familiares e amantes encontram-se em lados opostos. Num mundo à beira da ruína, escolhas difíceis devem ser feitas e sacrifícios são exigidos. Lágrimas caem, sangue escorre, mentiras são contadas, ilusões practicadas. E nada, nada poderá ser como antes. Nunca nenhuma vitória foi tão agridoce. Numa narrativa de cortar a respiração, Cassandra volta a apaixonar e a arrasar os seus leitores. Adrenalina, perigo e acção preenchem estas páginas onde tão depressa temos o coração trespassado como aconchegado. Somos arrastados para uma tempestade de emoções, onde no meio de perdas e vitórias, acabámos por descobrir que é exactamente o que não sabíamos desejar que acaba por nos magoar, que é aquilo que não sabíamos sonhar que acaba por nos quebrar. E que uma guerra nada tem de simples, que também os vencedores podem ser perdedores, que o bem e o mal muitas vezes são a mesma coisa.

  Nestas páginas valores mais altos se alevantam. A coragem, a lealdade, o amor, a amizade são celebrados em cada momento, mesmo naqueles em que a esperança parece arruinada. Muitos obstáculos se encontram num caminho que parece cada vez mais difícil de desbravar. Há momentos em que parece que tudo está perdido. Mas como sempre, Cassandra tem muitas surpresas e revelações surpreendentes guardadas, e como sempre, nem todas tornam as coisas mais fáceis. E é por isso que este livro é tão arrasador, por nos surpreender mesmo nos momentos em que não esperámos, por nos fazer sentir nos momentos que não estamos à espera. Nem no fim a autora nos poupa, mas são os espinhos dos seus finais felizes que os tornam tão preciosos e reais.

  É nestes momentos de maior desespero que nos apercebemos o quanto as personagens cresceram ao longo dos livros e, também, quão fortes as ligações entre si se tornaram. Onde havia desconfiança e inveja, surgiram amizades pacientes e inquebráveis, onde haviam amores tumultuosos ou destinados ao fracasso, surgiram namoros feitos de compreensão e aceitação. Onde havia meia dúzia de personalidades distintas, surgiu um grupo coeso e forte que nas páginas deste livro demonstra, não só os heróis que se tornaram, mas também o quanto aprenderam a gostar e a respeitar cada um deles. E não consigo evitar orgulhar-me de cada um deles por isso.

  Esta opinião não chega, e penso que nunca terei palavras suficientes para vos falar deste livro, deste final arrebatador que acaba em glória uma série que surpreendeu pela irreverência. A Cidade do Fogo Celestial pode não ser um derradeiro adeus, mas encherá sempre o meu coração de nostalgia. Bom trabalho, Cassandra, conseguiste-o outra vez.


As minhas Opiniões da Série