terça-feira, 12 de janeiro de 2016

Resultado Passatempo Natal

  Com o apoio da  Planeta Manuscrito, tinha para vos oferecer dois livrinhos maravilhosos no sapatinho: As Crónicas de Bane e Quando as Estrelas Caem.

  Ora, com a ajuda do random.org, das 107 participações válidas, o número escolhido foi...


5. Rui (...) Alves, Água Longa


  Muitos Parabéns ao vencedor, ao qual já contactei por email, que irá receber em casa estes livrinhos!

quinta-feira, 7 de janeiro de 2016

As Poucas mas não Menos Importantes Alegrias de 2015

  Sim, 2015 não vai ser um ano que recordarei de forma feliz, isso é uma certeza. Mas, isso não significa que dos poucos livros alguns não tenham sido absolutamente espectaculares, Porque foram, ou não que não foram!

  Infelizmente dois deles ainda não têm opinião porque calhou lê-los na fase parada do blogue mas espero um dia ter finalmente as palavras necessárias para vos dar as opiniões que eles bem merecem.

  E aqui estão eles, os treze magníficos que me deixaram nas nuvens...

Uma surpresa no que toca aos romances contemporâneos, este livro foi uma autêntica montanha-russa de emoções. 

Uma obra-prima da fantasia, este livro foi devastador até à médula. E é um bom exemplo de que não se deve dividir livros, pelo amor da santa!!!

Eu já gostava da Beth Revis mas este livro colocou-a num patamar muito, muito acima. 

Este livro minha gente é a coisa mais adorável à face da Terra. E tornou a Rainbow numa autora obrigatória na minha estante.

O dia em que a Quinn não fizer parte dos melhores do ano será o dia em que não li um livro dela nesse ano. É a única justificação plausível. 

Eu gosto muito do Robin dos Bosques mas desde que li este livro gosto muito mais da Scarlet! Um retelling brilhante que me surpreendeu bastante.

Esta sequela foi como cair num precipício de livre vontade. A Sarah J. Maas é, sem dúvida alguma, umas das vozes mais brilhantes da sua geração. E é uma tipa que não tem qualquer pena de nós, acreditem. E o pior é que não nos importámos nada com isso.

Dona de uma escrita incomparável, Laini Taylor é um diamante em bruto, uma contadora de histórias soberba, uma destruidora de corações. Adoro-a, para lá do infinito!

Outra moça que me faz babar literalmente sempre que leio um livro dela. Ninguém reconta contos de fadas como ela, ninguém!

Reler este livro ao fim de tantos anos foi exactamente como lê-lo pela primeira vez. Se gostam dos Bridgerton mas gostavam que eles fossem ainda mais ariscos, bem, leiam este livro porque vos vai encher completamente as medidas.

Bom. Absolutamente fantástico!! Leiam a sério!! 

 Outra senhora que nunca pode deixar de fazer parte dos meus tops é a Juliet Marillier. Deuses, esta senhora é um bardo renascido. Tudo o que ela escreve é bom, tudo!

Eu achava que já estava apanhada pela Marie Rutkoski mas descobri que não. Descobri que afinal ainda posso gostar mais dela. O que também significa que sou masoquista e que não me importo nada.

As Poucas Desgraças de 2015

  A parte boa de ter lido poucos livros este ano é que também foram poucas as desilusões, graças aos deuses!




Desilusões porquê?

O A Cada Dia era um livro do qual tinha imensas expectativas e que saíram completamente frustradas. O que me torna das poucas e raras pessoas que não gostou deste livro, verdade seja dita. 

O Rogue Wave é a sequela de um livro que gostei imenso. É também o livro que me vai fazer não acabar a saga porque foi agoniante até à medúla.

Os Livros de 2015 em Números

2015 foi um ano horrivelmente mau no que tocou ao blogue e às leituras e os números, obviamente reflectem essa tragédia que foi a minha vida literária no ano que terminou. 



34 Livros Lidos
Menos 86 livros que o ano passado. Ai que dor, que horror, que tragédia!!


10, 221 Páginas Viradas
Menos 27,163 que em 2014... Isto foi mesmo mau...

Demorei em média 6 dias a a ler cada livro
O dobro do que o ano passado, sendo que houve seis meses em que nem num livro peguei.


A Classificação do Goodreads ficou nos 4,1 
 Mas faltam as cotações de 3 livros 


Faltaram escrever as opiniões de O Ano em que Nos Amámos Perigosamente, O Lago dos Sonhos The Winner's Crime
Faltou-me o tempo. Eu não sei para onde ele foi este ano!!


Days of Blood and Starlight foi o livro mais longo que li
Com 517 páginas, tem metade das páginas que o maior livro que li em 2014


30 autores estrangeiros, 1 nacional
Mais um sinal da desgraça infinita deste ano...


Li 12 novos autores
Ora a culpa é dos poucos livros que li este ano, obviamente...


Os autores mais lidos foram Colleen Hoover, Laini Taylor e Rick Riordan... com dois livros.


Fantasia foi o género mais lido com 12 livros, seguido pelo Romance Histórico com 11 livros e pelo Romance Contemporâneo com 6
Estou a ver aqui (outra vez) um consenso...


Thriller e Clássicos foram os géneros menos lidos com 1 livro cada


Li 18 livros YA, 11 livros adultos, 2 livros new adult e 1 livro middle-grade


A Editora nacional mais lida foi a ASA com 4 livros, seguida da Quinta Essência,  Planeta e Topseller com 3
Sem comentários...


A Editora estrangeira mais lida foi a Little Brown Books for Young Readers com 2 livros


Li 26 séries
Muito menos que metade do ano passado... Feliz? Nem por isso.


Terminei 2 séries
O que significa que ainda tenho muitas, muitas, para terminar.


Comecei 12 novas séries das quais  pretendo continuar 11
Bem uma coisa boa no meio disto tudo...


Li 13 livros em inglês
Muito abaixo do ano passado, mas no conjunto geral da coisa não foi mau.


Li 7 ebooks
Mais um daqueles números que caiu por aí abaixo...


Li 6 short-stories


A maior parte dos autores que li começavam com a letra J, M e S


O mês em que li mais foi Janeiro (9)